Sonata Arctica @ Teatro AMRIGS – Porto Alegre/RS (09/05/2017)

A semana foi intensa pro gaúcho! Começou na terça-feira com o SONATA ARCTICA, no dia seguinte o público teve que escolher entre o show de despedida do Rhapsody ou o show do Rob Zombie/Ghost, e na quinta-feira ainda teve Slayer pra quebrar tudo! A Ilha do Metal esteve lá, e testemunhou o início desta semana bem pesada na capital gaúcha, so som dos simpáticos finlandeses do SONATA ARCTICA. O show foi no teatro da AMRIGS, escolha um pouco inusitada para um show de Metal. Sem banda de abertura após o cancelamento da banda de Tierra Mystica, o SONATA ARCTICA foi a única atração da noite.

O show começou com “Closer to an animal”, faixa que abre o ‘The Ninth Hour’, o mais recente álbum de estúdio da banda. O público imediamente levantou de seus assentos, e assim permaneceu durante toda a apresentação da banda. Mas a faixa não empolgou muito, embora o bom púbico presente estava receptivo ao novo álbum. Na sequência veio a belíssima “Life”, quem conhece a letra não fica sem sorrir. Linda música e cantada com paixão pelo sempre carismático Tony Kakko. Mas não muito pesada, e ainda não foi o momento de levantar o público. “The wolves die young”, veio na sequência apresentada pelo tecladista Henrik ‘Henka’ Klingenberg, mas mais uma vez, parecia que o público gaúcho não estava muito interessado na fase mais nova da banda. Mas então chegou a hora da “In Black and White”, música que o público sempre pede, e agora sim a banda agradou! E seguiu com uma das mais bonitas baladas do metal, “Tallulah”, que empolgou bastante, ainda que uma melhor resposta do público fosse esperada pela banda. “Fairytale”, mais uma do novo trabalho, veio em seguida.

                   

   

Mesmo sempe lançando álbuns novos, o SONATA ARCTICA mantém clássicos nos shows, e quando a banda tocou “Full Moon”, criou o momento mais aclamado da noite. De volta à promoção do ‘The Ninth Hour’, a banda tocou “Among the shooting stars”, que apesar de muito bonita, não funcionou muito bem ao vivo, pelo menos não empolgou em Porto Alegre. Na sequência, fomos honrados com “Abandoned, Pleased, Brainwashed, Exploited”, que nesta turnê voltou ao setlist depois de  na 10 anos na gaveta.
Depois, uma introdução sobre o desrespeito do homem para com o meio ambiente anunciou a lindíssima “We are what we are”, última faixa do ‘The Ninth Hour’ para a noite. O guitarrista Elias Viljanen entreteu o público com seu solo que foi uma mistura de pequenos trechos de músicas da banda, que retornou completa ao palco para tocar “The Power of One”, outra música que voltou pro setlist nesta turnê, após 14 anos sem ser tocada ao vivo. E que bela apresentação !! Pena que poucos pareciam conhecer a canção. “Misplaced” já é mais conhecida e também voltou recentemente para o repertório, ótima e pesada, esta sim agradou bastante.

O hit “I have a right”, seguido por “Don’t say a word”, fecharam a noite na capital gaúcha. Mas não antes do tradicional encerramento do show com “Vodka”. A banda agradeceu, jogou palhetas e baquetas para o público, e encerrou a primeira apresentação no Brasil da turnê ‘The Ninth Hour’.

Eu particularmente, sou muito fã do SONATA ARCTICA e gostaria de dizer que foi uma noite inesquecível para o gaúcho. Mas acho que não foi. A qualidade do show foi ótima, produção excelente, e a banda como sempre mostrou altíssimo profissionalismo e talento. Mas o público não parecia estar lá. O teatro estava bem cheio – especialmente considerando uma semana repleta de shows e difíceis escolhas -, mas o público não se empolgou muito. Talvez o fato de ter sido no teatro, sem muito espaço para pular e se empolgar em função das cadeiras, talvez pelo setlist priorizando músicas dos últimos trabalhos da banda. Mas definitivamente aquém do que uma banda de metal espera do público brasileiro. Que as outras bandas tenham tido mais sorte com o público gaúcho, e que o SONATA ARCTICA toque de novo em Porto Alegre em breve, com outro ótimo show, mas com uma sintonia melhor entre público e banda.

   

Setlist:

01. Closer to an Animal
02. Life
03. The wolves die Young
04. In Black and White
05. Tallulah
06. Fairytale
07. Full Moon
08. Among the shooting stars
09. Abandoned, Pleased, Brainwashed, Exploited
10. We are what we are
Solo do Elias
11. The Power of One
12. Misplaced
13. I have a right
14. Don’t say a word
15. Vodka

Agradecimento a Abstratti produtora pelo credenciamento e receptividade.