Salario Mínimo: Entrevista exclusiva, baixista Diego Lessa fala sobre a Virada Cultural e novidades da Banda

A Banda brasileira Salário Mínimo que neste ano completa 25 anos do lançamento do Clássico “Beijo Fatal” se apresentará na Vira Cultural no Palco Baratos Afins na Avenida Rio Branco , 1 na madrugada do dia 6 de maio as 6:00 da manhã, e no meio dos ensaios, conversamos com o baixista Diego Lessa que nos contou um pouco do que teremos no show da Virada Cultural e das novidades da Banda para esse ano.

 

1-) Primeiramente Diego, seja bem vindo ao Portal A Ilha do Metal e obrigado pela entrevista, e a primeira pergunta é….. como foi seu inicio de carreira, e como acabou entrando no Salário Mínimo? Além de perguntar como é tocar numa banda que influenciou toda uma geração do Heavy Metal Nacional?

Diego Lessa: Eu que agradeço a todos do Portal A Ilha do Metal pela entrevista. Eu comecei a tocar violão com 16 anos. Dois anos depois, comecei a estudar contrabaixo, em 2006 fui contratado pela banda Vento Motivo para fazer a tour em Minas. Estou no Salário Mínimo desde 2007, eu entrei através do nosso ex-guitarrista Kenzo Simabukulo (R.I.P), eu tinha uma banda com o Kenzo que chama-se Corvette, quando o China convidou o Kenzo para entrar no Salário, ele me levou para fazer uma audição com o China e deu muito certo e felizmente estou na banda até hoje. Eu posso dizer que não é somente um prazer tocar na banda e sim também um privilegio tocar no Salário Mínimo, eu fui de fã a integrante da banda, dividir o palco com o China Lee a Lenda do Heavy Nacional foi umas da melhores coisas me aconteceram e o carinho que os fãs da banda tem comigo não há preço no mundo que pague.

2-) O último trabalho de vocês foi o álbum “Simplesmente Rock”, que quando ouvi achei bem diferente do debut do Salário Mínimo, porém após algumas poucas ouvidas, já cantava quase todas as músicas, mesmo sendo menos pesado que o Beijo Fatal, achei até mais parecido com a banda Extravaganza (Antiga banda do China Lee), mas é um baita disco de Hard Rock, como foi o processo de gravação deste álbum.

Diego Lessa: Tivemos muito tempo para executar uma pré-produção do “Simplesmente Rock”, definindo quase tudo que queríamos antes de entrar na fase de produção, mas realmente “Henrique Baboom” agregou muito na finalização das músicas com idéias modernas e criativas.

3-) Falando em discografia, quais os planos para os próximos registros do Salário? Algum CD ou DVD a vista? Espero que não demore tanto como foi o tempo entre Beijo Fatal e Simplesmente Rock…

Diego Lessa:Hahaha…Fiquem tranqüilos que não vamos demorar esse tempo todo não, o Salário Mínimo vai gravar um novo CD sim, mas estamos pensando em fazer um EP com 4 faixas inéditas para presentear nossos fãs e logo em seguida lançar um CD completo, mas isso ainda está só no papel, fiquem tranqüilos, esse ano vocês ter coisa nova da banda por ai, até porque esse ano o Beijo Fatal faz 25 anos que foi lançado e não vamos deixar isso passar em branco, tenham certeza que vem coisa boa por ai.(risos)

4-) Vocês participarão agora da Virada Cultural 2012 junto com Golpe de Estado, Baranga, etc….que será um palco fantástico por sinal, e o que podemos esperar deste show, teremos um set especial alguma surpresa? E também, o que você pode dizer daquela participação do Jack Santiago na abertura do show do UDO, ele participará na Virada como convidado especial? Eu particularmente achei um dos melhores momentos da história do Heavy Metal nacional, Duas bandas lendárias incendiando e fazendo um show melhor que a atração principal naquela noite.

Diego Lessa: Imagina, nosso show foi excelente, porém o UDO é mestre no que faz, o show dele foi ótimo. Infelizmente o Jack não estará com a gente na virada. Mas estamos preparando um show diferente para nossos fãs que estarão nos prestigiando na virada cultural, com algumas surpresas, tanto musical quanto na performance e sem duvida com a mesma energia que no show junto com o UDO e com sede, muita sede de Heavy Metal.

5-) Qual seu melhor e pior show com o Salário Mínimo e por que? Algum fato engraçado que possa mencionar?

Diego Lessa: Cara, até hoje não existiu meu pior show com o Salário Mínimo, todos os shows foram excelentes, claro que alguns com stress a mais que o outro antes de subirmos no palco, mas nada fora do normal, algumas furadas, assim como toda banda já passou. Todos os shows com o Salário Mínimo foram excelentes para mim, sempre com uma vibe maravilhosa, não importa o que aconteça nos bastidores, quando a gente entra no palco nós viramos outras pessoas e tudo de ruim que aconteceu antes daquele momento é esquecido imediatamente e gente vai pra arrebentar e dar aos fãs um grande espetáculo. Ah tem um fato engraçado sim: Nós fizemos um show em Catanduva uma vez e foi animal, todos nos divertimos e tudo mais, só que eu e o o Daniel Beretta fomos dormir muito tarde e a gente tinha que sair bem cedo no dia seguinte e quando estamos quase pra sair, de tanto sacudir, chamar ele, não tinha cristo q acordava o Daniel Beretta, o Jr. Muzilli e o ex-baterista da banda invadiram o quarto dele viraram o colchão da cama e jogaram ele no chao, só assim ele acordou, ficou puto pra demais, mas acordou!!!hahahahha

 

6-) Voltando ao CD “Simplesmente Rock”, ele foi lançado na Europa pela gravadora Metal Soldiers Records, como está essa repercussão do Salário Mínimo na Europa, Alguma Excursão pelo Velho Continente está planejada?

Diego Lessa: Eu falei com a gravadora a mais ou menos um mês atrás e me deram boas noticias, segundo a gravadora, eles me disseram que não tem como não gostar de Salário Mínimo lá, disse também que a repercussão está sendo ótima. Sim, nós temos planos para fazer uma tour pela Europa, aliás, é o sonho de toda banda brasileira, mas estamos esperando o momento certo para isso.

7-) Na minha opinião os melhores discos e mais importantes de Heavy Metal no Brasil são Stress – Stress, Beijo Fatal do Salário Mínimo e Roots do Sepultura, o que me diz de cada um deles e se concorda com essa lista?

Diego Lessa: Eu concordo com essa lista sim , esses discos marcaram sua época quando lançados, o Stress foi a primeira banda de Heavy Metal do Brasil e por isso tenho muito respeito pela banda, o disco Stress da banda eu gosto muito, já o Beijo Fatal, eu sou suspeito em falar, é um disco excelente, com um repertorio muito bem escolhido, eu sempre comento com meu grande amigo e fã da banda Ricardo Batalha: Imagina se a banda naquela época tivesse os recursos de hoje quando gravaram o Beijo Fatal, agora falar de Sepultura é uma honra pra mim, o Roots é um dos melhores disco da banda na minha opinião, mas eu gostei muito do Kairos o mais recente trabalho do Sepultura, mas nos últimos anos bastante coisa boa que surgiu depois vou citar algumas bandas que na minha opinião são excelentes: Eu gosto muito do Nervoso e do Carcaça do Carro Bomba, o Dicipline Of Hate do Korzus eu acho um excelente disco, o disco Bittersweet que é o novo trabalho da banda Trayce eu gosto bastante também, esses dias eu ouvi o novo disco do Command 6 chamado Black Flag, eu achei um ótimo disco também, a banda Woslom faz um heavy metal digno no Time To Rise.

8-) Diego, Sucesso a vocês, e obrigado pela entrevista, deixo livre para você enviar uma mensagem aos fãs do Salário e a nossos leitores.

Diego Lessa: Eu que agradeço todos do portal A Ilha Do Metal pela atenção sempre e pelo carinho, agradeço a todos os Fãs do Salário Mínimo por nos apoiar e nos prestigiar nesses 28 anos de carrieira, sem vocês nós não seriamos um terço do que somos hoje. Aos leitores, continuem prestigiando o Heavy Metal independente que ele seja nacional ou internacional, que ele seja cantado em português ou em inglês, nada disso importa, o que importa é que é Heavy Metal. DEIXA O ROCK QUEIMAAAAR EM VOCÊS!!!!!

As fotos que ilustram essa entrevistas são do Show junto com o U.D.O de 2011 e na Galeria Olido em 2010