Blues Etílicos & Malina Moye @ Samsung Blues Festival – São Paulo (02/06/2017)

O segundo do Samsung Blues Festival desde sua divulgação certamente era o dia mais “POP” do evento, seja pela presença do Blues Etílicos ou pela atração internacional Malina Moye que vem conquistando vários fãs por onde passa, pelos prêmios ou pela sua participação no Experience Hendrix Tour sendo até hoje a única mulher a participar deste tributo ao Deus da Guitarra.

O público da noite, foi bem diferente, claramente mais jovem que o da noite anterior ( e da posterior também) e literalmente estavam em uma balada já que no meio das apresentações era comum as pessoas entrarem e saírem do Teatro, o que normalmente não é possível e para quem assistia e se deveria com os shows isso incomodou bastante.

 

Álbum de Fotos: Click Aqui

A primeira atração da noite, relembrando sucessos de mais de 30 aos de carreira,  e lá teríamos o guitarrista e vocalista Greg Wilson, Otávio Rocha na guitarra Slide, e como ele lembra o guitarrista do filme Quase Famosos na  e o porque não dizer gênio gaitista Flávio Guimarães e completam o time Pedro Strasser na bateria e Claudio Bedran no baixo.

O Show aquele maravilhoso de sempre com a banda empolgando da primeira nota até o último Adeus, e o público literalmente fica sem saber onde se atentar, seja pelo talento da guitarra de Otávio Rocha, considerado um dos melhores do mundo no estilo Slide, seja pela genialidade de Flávio Guimarães, ou pela simplicidade e carisma do vocalista Greg Wilson  e como ainda divulgam o álbum ao vivo “30 anos”, o repertório foi aquela mescla de músicas própria, alguns covers, mas o melhor, várias intervenções onde o estilo Blues, foi muito bem representado pela guitarra e pela gaita inseridas milimetricamente precisas em cada faixa.

Quem mais se comunica com o público é o gaitista Flávio Guimarães, e a quem curte um bom blues, o Blues Etílicos é atração constante nas unidades do Sesc espalhadas pelo país, e caso você tenha perdido esse show, ou queira rever, um dos maiores nomes, e talvez o nome do Blues mais bem sucedido comercialmente em nosso país a garantia de diversão nos shows da banda é garantida.

Chegava a hora da carismática guitarrista que encantou todos na Coletiva de Imprensa do Festival por uma simpatia incrível e carisma absurdo, ali descobrimos o porque tantos holofotes vão em sua direção, porém estamos falando de estilos musicais onde atitude e qualidade são  fundamentais para se sustentar.

O show iniciou com ” Band Medley Blues” com apenas sua banda de apoio no palco, sendo eles, Trameka nos vocais de apoio, Wilton nas guitarras, David no Baixo , Jimmy nos teclados e Brian na bateria, já mostraram que não são a toa que acompanham uma promissora e talentosa guitarrista, e após a intro começamos a escutar o blues de Malina e seus solos, mas olhavamos para o palco e absolutamente nada e o solo vindo das P.A’s, quando de repente ela surge dedilhando sua guitarra, e entrando por onde toda a platéia entrou bem no meio do público e solando muito, e foi andando entre a platéia, vale o registro sem nenhum segurança, e todos respeitando muito, admirando, fotografando com seus celulares, claro que sim, mas ninguém atrapalhou um segunda a americana, que teve com essa entrada magistral, ali já havia ganhado a simpatia de todos.

O que se viu depois foi um talento misturado com carisma absurdo, o que essa moça toca, chega a perfeição, e embora ela não tenha uma vasta discografia como todos, os outros participantes do Festival, ela focou bem em suas músicas solos e mesclou com alguns covers bem pontuais, que ganharam ainda mais destaque.

Ela toma a cena do palco de uma maneira muito vibrante, indo de um lado para o outro, tocando de joelhos no chão, como dizemos aqui no Brasil, ela faz miséria com sua guitarra, e tudo levava a crer que certamente seria o show do Festival. Todo o protocolo de grande apresentação foi feito, uma apresentação vibrante, elogiar a platéia, falar bem de nosso país tudo perfeito, e chegava o grande momento do show para ela, quando tocou a música ” Are you the One? ” e convidou uma pessoa da platéia e ficou tocando e dançando em torno de seu fã que claramente entusiasmado demais, Malina gentilmente pediu que voltasse ao seu lugar pois ali o palco precisava ser só dela novamente.

Ela mencionou na coletiva ser do mesma terra natal de Prince e ele sim era uma de suas fortes influencias, e claro que homenageou o musico com o cover da instrumental, ” Controversy” . O show era daqueles que passava rapidamente, porém além das pessoas que viviam transitando entre os corredores do Teatro, algo incomodava a todos, o som não estava nas melhores condições,a s vezes alto, o baixo, esteve muito alto durante todo o espetáculo e era visível tanto os músicos gesticulando com seu técnico de som, como a platéia achando o som bem alto.

Um dos poucos momentos em que todo o som foi perfeito foi na faixa, “Alone” que ao invés da canção bem mais pop que temos no single lançado por Malina Moye em 2011, foi tocado com uma balada bem blues e com o backing vocals de Trameka, ecanto todo mundo e certamente foi o melhor momento do show.

O final não poderia ser mais apoteótica, quem a acompanha sabia da maravilhosa versão de Hendrix de “Foxy lady”, onde mesmo com os contantes problemas no som nesta música, o final não poderia ter sido mais apoteótica.

A talentosa guitarrista agradeceu muito na sua despedida e prometeu voltar em breve, e claramente todos aguardaremos, pois ela sabe como fazer um show que encanta a todos e certamente conforme conversamos após a volta Malina Moye não ve a hora de voltar ao Brasil para outros shows.

  1. Band Medley Blues
  2. Run free
  3. Stormy Days Blues
  4. Hustler Blues
  5. K-otic
  6. Yahh
  7. Are you the One
  8. A Little Rough
  9. Controversy
  10. Thank You for letting me
  11. Alone
  12. Foxy Lady

Este slideshow necessita de JavaScript.

A ILHA DO METAL tem o Apoio Cultural da T4F – SOLID ROCK FESTIVAL

SOLID ROCK – DEEP PURPLE, LYNYRD SKYNYRD E TESLA
Cerveja Oficial: Heineken
Realização: TIME FOR FUN

CURITIBA (PR) – Pedreira Paulo Leminski

Data: Terça-feira, 12 de dezembro de 2017
Ingressos: de R$ 145 a R$ 660 (ver tabela completa)
Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br
Retirada na bilheteria e E-ticket – taxas de conveniência e de entrega.

Pontos de venda no link: http://premier.ticketsforfun.com.br/shows/show.aspx?sh=pdv

SÃO PAULO (SP) – Allianz Park

Data: Quarta-feira, 13 de dezembro de 2017
Ingressos: De R$ 130 a R$ 580 (ver tabela completa)
Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br
Retirada na bilheteria e E-ticket – taxas de conveniência e de entrega.

RIO DE JANEIRO (RJ) – Jeunesse Arena
Data: Sexta-feira, 15 de dezembro de 2017.
Ingressos: de R$ 125 a R$ 650 (ver tabela completa)
Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br
Retirada na bilheteria e E-ticket – taxas de conveniência e de entrega.