Pain of Salvation @ Carioca Clube – São Paulo/SP

Fãs ansiosos num cenário com bandeirinhas de São João ao teto e um telao passando o complemento da rodada do brasileirao 2011, esse foi o início da noite de um Carioca Club quase lotado. O tradicional atraso desta vez foi acompanhado por uma partida que não interessava à ninguem no local, mas apenas ao termino do jogo o telão subiu e o gelo seco foi acionado, finalmente era chegada a grande hora, e bem no dia do aniversário do vocalista Daniel Gildenlöw.

Resenha: Edu Escobar
Fotos: Bruno Bergamini

A banda subiu ao palco ovacionada pelo público presente e logo se ouviu as primeiras notas do empolgante começo de “Remedy Lane”, logo na sequência “Of Two Beginnings” que é uma música mais calma, mas cheia de reflexão, que por sinal é a proposta predominante na banda, e “Ending Theme” que se nao fosse todo o apelo emocional na letra já baixaria o animo de qualquer um.

pain_of_salvation_by_bruno_bergamini_03.jpg

Em seguida, a ótima “America”, que apresentou à todos um fato que se sucederia mais algumas vezes durante o show: no meio da música, a energia era tanta que uma das cordas arrebentou. Então em um acesso de improviso, Léo Margarit, começou seu solo de bateria que se extendeu por bastante tempo enquanto o roadie trocava e afinava novamente a guitarra. Foi a deixa de para se ouvir o trecho pertencente à música “we’ll be back after this short break” de Daniel. Antes do término da música, a corda trocada arrebentou, arrancando risadas e aplausos de todos.

Num clima extremamente descontraído a banda terminou esta primeira parte do show com “Handful of Nothing”.

Todos os integrantes saíram do palco enquanto ao fundo era ouvido “Of Dust”, introduzindo a parte mais introspectiva do show. Retornando ao palco, esta parte do show continuou com “Kingdom of Loss” e sua letra genial em uma melodia tranquila de letra destruidora, fora a interpretação e todo o sentimento despejado por Daniel nesta música.

pain_of_salvation_by_bruno_bergamini_09.jpg

Já em uma atmosfera mais dramática, chega a hora da música “Black Hills” e todo o toque progressivo que uma banda como o Pain of Salvation é capaz de fornecer aos seus fâs.

O show já estava matador à essa altura, digna de já valer o ingresso, mas não havia nem chegado na metade do concerto e uma sequência matadora contendo “Idioglossia”, “Her Voices”, “Second Love”, “Diffidentia”, e “No Way” com ótimas canções do passado e composições do presente tão boas quanto. A banda fechou a sequência com a clássica “Ashes”.

Já na última parte do show com o público querendo mais, veio a grande “Linoleum”, depois a “Road Salt” em que há apenas vocal e teclado, “Falling” que fez surgir o aniversáriante do dia solando na parte dos camarotes da casa (!) e “The Perfect Element” e seus mais de 10 minutos brilhantes para terminar a grande apresentação! Vale lembrar que mais algumas cordas haviam sido arrebentadas até o momento.

pain_of_salvation_by_bruno_bergamini_12.jpg

Depois de uma rápida pausa, chegava a hora do Encore e dos últimos momentos deste show incrível, voltaram com “Tell Me You Don’t Know” do álbum mais recente, música esta, que tem uma levada de blues bem característica, “Disco Queen” e um acesso de insanidade geral toda vez que se ouvia o refrão, alguns tentando dançar e outros apenas pulando ao som do melhor da disco 70’s dos dias atuais (rs).

No encerramento, Daniel foi pego de surpresa, já com o furor de toda a casa, ao ouvir os primeiros acorder de “Nightmist”, o guitarrista Johan puxou o “Happy Birthday to You” e logo apareceram com um bolo de aniversário – uma festa de aniversário e tanto! -, depois que retomaram a música “Nightmist”, ela foi extendida com versão em reggae, blues e tudo o que é direito!

pain_of_salvation_by_bruno_bergamini_15.jpg

Ressaltando que o som e iluminação estavam ótimos e não houve nenhum problema durante a apresentação que fosse digno de destaque. Um show fantástico, com música de qualidade, risadas, festa, bolo e todo o carisma da banda que ao término do show fez questão de cumprimentar o máximo de pessoas possível.

Line-up:
Daniel Gildenlöw: vocais, guitarra
Johan Hallgren: guitarra, backings
Fredrik Hermansson: teclados
Léo Margarit: bateria, backings
Per Schelander: baixo, backings (turnê)

Set-List do Show:
1 – Remedy Lane
2 – Of Two Beginnings
3 – Ending Theme
4 – America (com solo de bateria)
5 – Handful of Nothing
6 – Of Dust
7 – Kingdom of Loss
8 – Black Hills
9 – Idioglossia
10 – Her Voices
11 – Second Love
12 – Diffidentia
13 – No Way Play Video
14 – Ashes
15 – Linoleum
16 – Road Salt
17 – Falling
18 – The Perfect Element
Encore:
19 – Tell Me You Don’t Know
20 – Disco Queen
21 – Nightmist