Manifesto Rock Fest 9: Semi Final 2.

Constantine, Tromp, Polaris, Palpebra, Fatho, Nowrong, Medusa, Sociedade Animal, Killing Machine, Electric Delirium e a convidada da noite, a banda Karikatura, despejaram em pleno dia da mentira todo seu verdadeiro potencial, afinal, as últimas cinco vagas para a final do dia 22/04 estavam sendo disputadas!

Texto: Eduardo Escobar
Fotos: Rogério Suenaga

CLIQUE PARA ACESSAR A GALERIA DE FOTOS NO FACEBOOK

Mais uma noite de casa cheia no Manifesto Bar para a segunda semi final da edição número 9 do Manifesto Rock Fest, o maior festival voltado à cena underground paulista!

A primeira banda a entrar no palco foi a Constantine, apresentando seu rock com nítidas influências de Hard Core, as garotas fizeram uma versão de “Zombie” (The cranberries) pautada em seu estilo. Além da divulgação de suas músicas próprias houve tempo também para uma cover de “Fuel” (Metallica), até o momento a música mais tocada do festival. No geral, a banda fez uma das três melhores apresentações da noite!

A banda Tromp surgiu logo em seguida com um repertório não tão diferenciado da fase eliminatória, porém com uma melhora visível. Tocaram “Freedom” (Rage Against the Machine), que pareceu não empolgar muito, e além disso apostaram em músicas próprias, como o destaque, “Deep Shit”.

O Metal apareceu pela primeira vez quando a banda Polaris fez sua apresentação, pautada em um Thrash Metal rápido e sem frescuras, assim como deve ser. Foram apresentadas ótimas músicas próprias como “Running Away” e “Moshpit” porém a banda certamente perdeu pontos na cover “Iron Maiden” (Iron Maiden), onde nitidamente as guitarras não estavam 100%, mas foi o suficiente para haver vários bate-cabeça durante o show.

Voltando ao rock, a banda Palpebra fez copy/paste da apresentação feita na fase eliminatória, mas mesmo assim, é impossível dizer que foi tudo igual. Desta vez parecia que a insanidade havia tomado o controle total do vocalista, que cantou agachado com o microfone no chão, se jogou do palco, escalou a estrutura de iluminação, ou seja, uma atração a parte! Musicalmente a banda também tem letras muito bem feitas, destaque para a tal “Hoje vai ter porco no Jantar”.

Certamente a banda que mais se difere nesta edição do festival, a Fatho mostrou mais uma vez toda sua heterogeneidade, e não apenas porque havia um membro da banda com instrumentos tradicionalmente incomuns no festival, mas pela diversificação musical entre estilos, uma salada reggae, rap e hip-hop, com passagens pelo rock alternativo e outros estilos. Tocaram músicas próprias como a “Tabuleiro Real” e no fim foi mais uma das três melhores apresentações da noite.

Voltando ao Metal, a Nowrong emplacou alguns covers de bandas como Pantera e Metallica, mas sem esquecer da divulgação de suas músicas próprias. Destacando-se a música “Fuck Yourself and Die”, a banda thrash metal fez um ótimo show, ainda mais com o apoio do público, que não estava em grande número, mas era intenso.

Diretamente de Santos, mais uma vez a banda Medusa subiu a serra para mostrar ao público seu rock pop, que desta vez infelizmente não empolgou tanto quanto ao primeiro show realizado na fase eliminatória. Mesmo assim, com uma apresentação positiva, a banda tocou uma cover de Pitty e músicas conhecidas por seu público, como a “Te Guardar”.

Desde o início do show, a Sociedade Animal visivelmente foi a banda que trouxe mais público para a semi-final, o que ajudou em muito o andamento do show, já que algumas versões apresentadas, como a versão para a música “Que país é esse?”, não agradaram. Já a música própria “Sociedade Animal” foi a melhor dos caras, com refrão fácil e a galera bastante empolgada, sendo o ponto alto do show.

Com um dos 3 melhores shows da noite, a Killing Machine, que é um verdadeiro catado de outras 3 bandas participantes da oitava edição do Manifesto Rock Fest, fez uma exímia apresentação. Obviamente não faltou Deep Purple, afinal, até o nome da banda foi inspirado nos caras. Mostraram também seu repertório próprio, que também segue a linha classic rock muito bem executado por todos os integrantes, sem exceção. A banda mostrou ter claras possibilidades de se destacarem na grande final.

Terminando a noite de competição, a Electric Delirium, que fez uma apresentação bem redonda, sem muitas surpresas é verdade, porém, seguindo seu script focado no rock alternativo e Heavy Metal, com destaque para a música mais tocada do festival, Fuel (Metallica).

Ao término da última banda concorrente da noite, os músicos escolhidos para a Jam (música: Highway to Hell) foram anunciados no palco. Foram eles:
baterista: Juninho – Fatho
guitarrista: Caio – Palpebra
baixista: Felipe – Electric Delirium
tecladista: Mariana – Killing Machine
vocalista: Sam – Medusa

Logo após a convidada da noite, a banda Karikatura, tocar o melhor do rock nacional em versões super bem elaboradas, e com uma bela produção de palco diga-se de passagem, e também após à Jam dos músicos, o resultado com as últimas cinco classificadas foi revelado.

Classificadas para a final (dia 22/04/12):
#1 Constantine (38 pontos)
#2 Killing Machine (36.5 pontos)
#3 Sociedade Animal (90 votos)
#4 Fatho (46 votos)
#5 Electric Delirium (voto misto)

Nos vemos em mais uma grande final!!!