Joe Satriani @Espaço das Américas – São Paulo (07/12/2016)

bram1211

Resenha: Tamira Ferreira

Fotos: Marcelo Brammer

Um dos maiores guitarristas do mundo fez um show marcante no Espaço das Américas em São Paulo no dia 07 de dezembro de 2016.

Já era possível, logo ao entrar, ver que o evento seria em alto estilo e muito bem organizado. O Espaço das Américas estava cheio de cadeiras e garçons passavam por entre o público oferendo bebidas e comidas.

Por volta das 21h, os fãs começaram a tomar seus lugares para esperar a entrada de Joe Satriani ao palco.

bram1183

Com uma banda formada de grandes músicos como Bryan Beller (baixo), Marco Minnemann (bateria) e Mike Keneally (guitarra e teclados), Joe estava celebrando seus 30 anos de carreira e prometia ser um show memorável.

Mesmo com a lotação da casa não atingida, o lugar estava cheio de fãs e músicos ansiosos pelo show que começou com um vídeo de introdução e a música “Shockwave Supernova” e em seguida “Flying in a Blue Dream”.

O show era uma mistura de som, imagem e iluminação em perfeita sintonia, dando detalhes para os músicos convidados de Joe.

Nas primeiras duas músicas, Mike ficou atrás do teclado se intercalando entre este instrumento e a guitarra. Em “Ice 9”, ele sai de sua posição e vai para a frente do palco tocar com Joe.

bram1308

Satriani agitava o público o tempo todo e causava arrepios em quem estava lá a cada nota e a cada riff. O show seguia com músicas do setlist e algumas “jams” entre os músicos. Satriani disse que se empolgava com o momento enquanto tocava.

A próxima canção a ser tocada foi “Crystal Planet”, as imagens ao fundo deixavam o ambiente bem futurista com foguetes e planetas. E o show seguia com “On Peregrine Wings” e seu mix de ritmos e paisagens naturais ao fundo.

Joe agradeceu o público e apresentou a banda, depois explicou que suas composições eram mais pessoais, porém, hoje em dia, ele conta com uma equipe de músicos incríveis.

O show continuou com “Friends”, escrita em 1992. Mesmo sem letras, as canções de Satriani contam uma história que é possível ver pela sua melodia e acordes, como em “If I Could Fly”.

A primeira balada da noite foi “Butterfly and Zebra”. Joe explica que é uma história de amor pouco conveniente.

bram1095

Cada músico da banda tinha seu momento no show. Satriani até ia para o fundo do palco enquanto os outros integrantes tocavam. E o público dançava, mesmo em suas cadeiras a cada música performada, como “Cataclysmic” e “Summer Song”, durante a segunda, o videoclipe da música passava no telão ao fundo.

Um dos momentos mais divertidos do show foi o solo de bateria de Marco Minnemann. O músico fazia diferentes sons com partes da bateria e as baquetas. Até mesmo quando um dos pratos quebra, Marco continua tocando e Satriani entra ao palco para segurar a parte de instrumento enquanto ele toca. É claro que a plateia foi à loucura com a cena.

O público se animou quando “Crazy Joey” começou a ser tocada. Alguns até queriam ficar em pé, mas eram impedidos pelos seguranças.

O segundo solo da noite foi o de Mike Keneally e seu teclado. Dando sequências as canções “Luminous Flesh Giants”, “Always With Me, Always With You” e o solo do baixista Bryan Beller.

bram1021

Era por volta das 23h quando a banda sai do palco, porém o público se mantém em seus lugares, gritando e batendo o pé na plataforma de madeira no chão. E para a alegria de todos, a banda volta com um Medley de grandes nomes do rock n’ roll como Deep Purple, AC/DC e Jimi Hendrix.

Se a regra era ficar em seu lugares e sentados, ela se quebra quando a banda volta para o bis. Os fãs desceram das plataformas de madeira e se posicionara à frente do palco.

Crowd Chant” deu a chance à plateia de cantar enquanto Satriani solava.

Ficou por conta de “Satch Boogie” encerrar a noite que com certeza ficará na memória de todos que estavam presentes.

Agradecimentos à Mercury Concerts pela organização do show e à Catto Comunicação pelo credenciamento.