Garotos Podres, Ataque 77, Flicts @ Festival “O Fim do Mundo, Enfim”

O FIM DO MUNDO, ENFIM – SESC POMPÉIA

Texto e Fotos: Rogerio Suenaga

Há 30 anos atrás, em 1982, época de um país incerto com o regime militar ainda atuante, o Brasil vivia uma época de futuras transformações políticas e econômicas. E em São Paulo uma revolução musical entraria pra história, o festival punk “O começo do fim do mundo” no Sesc Pompéia, um marco do gênero para essa época no país, sendo considerado até hoje um dos maiores do mundo.

Trinta anos se passaram e houveram inúmeras transformações, o regime militar se foi, mudanças econômicas, troca de moeda, várias mudanças políticas, etc. Eis que em 2012, trinta anos após a primeira edição, o Sesc Pompéia realiza uma reedição em comemoração a primeira edição do festival.

No dia 30 de março, uma sexta-feira, segundo dia do Festival, subiram ao palco três bandas, Flicts,  Ataque77 (Argentina)  e Garotos Podres fecharam a noite mais que especial na Zona Oeste de São Paulo.

Flicts

A primeira delas, a banda FLICTS subiu ao palco do Sesc e deu início ao espetáculo do dia. O show deu início no horário marcado para as 21:30 hs e o público ainda era pequeno mas bastante fiel ao som e a banda de abertura. O trio paulistano começou esquentando o público presente com um som bastante potente e guitarras poderosas. A banda formada em 1996 em um bairro operário de São Paulo, tem em sua formação: Artur (guitarra e vocal), Jeferson (baixo) e Rafael (bateria) em trinta minutos de show conseguiu dar conta do recado. O show foi curto, pois ficou no ar um gostinho de quero mais, o público agitava sem parar, abrindo a roda, aos petardos sonoros da banda, quando foi ver… acabou. Banda que merece destaque e atenção..

Set list – Flicts:

1. Meu bairro, minha rua

2. Briga de bar

3. E o povo, onde está?

4. Canção de batalha

5. Desmascarar sua bandeira

6. A todo anarquista

7. Liberta!

 

Ataque77

 

Encerrada a primeira banda, a equipe técnica realizou uma troca de equipamento digna e com um público fiel, a próxima banda sobe ao palco, já com o espaço todo completo por um público fiel ao som. A banda argentina Attaque 77 detona um seu punk latino com bastante pegada agitando muitos fãs que vieram somente para prestigiar a banda, onde se via fãs argentinos, chilenos segurando a bandeira de seu país e brazucas que cantavam e gritavam em coro todas as suas músicas.

A banda mostrou simpatia e conquistou até os punks mais radicais com o seu punk rock contendo muito groove e levada rítmica. A grande roda de agitadores era constantemente aberta e todos estavam ali para se divertir de forma pacífica, apesar dos empurrões. A banda deixava o público escolher qual música tocar. Por fim, a banda surpreendeu, agradando de punk a headbanger. A banda conta com Mariano Gabriel Martinez (vocal e guitarra), Luciano Scaglione (baixo), Lucas Ninci Nieto (teclado) e Leonardo “Chito” de Cecco (bateria).

Set list – Attaque 77

1. Hay Uma Bomba

2. El Cielo

3. Cuanta Cerveza

4. Chicos Y Perros

5. San Fernin

6. Hacelo X Mi

7. Soy Rebelde

8. El Pobre

9. No Me Arrepiento

10. Espadas

11. Donde Las Aguilas

 

Garotos Podres

Com a adrenalina fervendo era chegada a hora da banda mais esperada da noite. Mais uma vez, a equipe técnica das bandas realizou uma troca e a montagem dos equipamentos em uma competência extrema. Com o espaço do Sesc totalmente lotado, os meninos de Mauá sobem ao palco para a última apresentação da noite. Os Garotos Podres chegam detonando os amplificadores com seu punk de subúrbio mais cru e original, em sua melhor forma. Logo nas primeiras músicas um problema na guitarra interrompe o show e o sarcástico vocalista Mau, solta uma piada: a guitarra parou e vocês não perceberam. Trinta anos sem fazer sucesso. Grande parte do público presente não era nascido na década de 80 e hoje prestigiam e curtem o som com a mesma atitude e empolgação dos que curtiam naquela época.

O som dos Garotos não envelheceu e tornaram-se hinos que marcaram toda uma geração e vão ficar eternizados para as próximas gerações. Não faltaram hinos como Jonhnny, Papai Noel Velho Batuta, Alistamento Militar, entre outros. No meio do show Mau faz uma homenagem ao falecido vocalista Redson da banda Cólera, lembrando que ele poderia estar naquela noite se apresentando. Tudo era festa naquela noite, os fãs subiam ao palco e cantavam os refrões com Mau e depois faziam o stagedive na multidão, felizmente nenhum incidente foi registrado pelos organizadores. Subiram ao palco do Sesc Pompéia: Mau (vocalista), Sukata (baixo), Carlos Saffiotti (guitarra) e Caverna (bateria). Muitos anos se passaram, as bandas punks sobreviveram ao tempo e as mudanças sociais do país, mas ainda continuam de pé.

 

Punks is not dead.

 

Set list – Garotos Podres:

1. Garoto Podre

2. Vomitaram no trem

3. Agente Secreto

4. Oi!… Tudo bem?

5. Ditador

6. Alistamento Militar

7. Jonhnny

8. A Internacional

9. Aos Fuzilados na CSN

10. Ainda Vamos Tocar Bossa Nova

11. Papai Noel Velho Batuta

12. Rock de Subúrbio

13. O Ocidente é um Acidente

14. Subúrbio Operário

15. Anarkia Oi!

16. O Mundo Não Para de Girar

17. Nasci Para Ser Selvagem

18. Escolas

19. Verme

20. Vou Fazer Cocô

 

Agradecimentos a Marina Pereira e ao Sesc Pompeia pelo Credenciamento.

Confira a galeria de fotos no Facebook da Ilha do Metal

 

 

Comentários:

Sobre o autor:

Marcos Cesar de Almeida:
"Metaleiro das antigas" ou Tiozinho dos shows, Torcedor do Monte Azul, ouço todas as vertentes do Metal, Hard, folk, death, THrash, tendo distorção e bem feito tá valendo. Twiter : @BULLINO

já escreveu 2001 artigos para a Ilha do Metal.