Faster Pussycat @ Inferno Club – São Paulo/SP

Uma sexta feira memorável este último  dia  26 de agosto de 2011, e o motivo foi mais uma edição da Glan Nation, que trouxe uma das maiores bandas do cenário Hard Rock dos anos 80, os Californianos do FASTER PUSSYCAT mais a banda Pink Dolls para abrir a noite no Inferno Club, localizado na Rua Augusta no Centro da capital paulista.

Um bom público compareceu ao show, e mesmo não deixando a casa cheia, era na maioria um público um pouco mais velho que o usual, certamente muitos fãs da era de ouro do Hard Rock que estavam lá para ver ao vivo a primeira passagem da banda pelo Brasil, e todos puderam presenciar uma excelente festa que foi abrilhantada ainda mais pelo Pink Dolls, banda  já conhecida de muitos em São Paulo, que abriu o show e conta atualmente em sua formação, Welder Shane nos vocais, Ti Glamnas nas guitarras, Ricke Gala no   baixo e teve a participação de Caio na bateria (que substitui o baterista temporiariamente por razões médicas).

A banda prendeu a atenção de todos em um show empolgante e forte onde estavam divulgando o EP “Dirty Jewels”  despejando seus sucessos, como Samantha, Horror Show e sem deixar de mencionar a fantástica Black Jack, onde inclusive mencionaram a saudosa casa em Sâo Paulo e terminaram com Talk dirty to me do Poison e um Cover do Crashdiet finalizando de forma espetacular a primeira parte da noite.

O som mecanico manteve o clima lá em cima e continuou até as 2:30 da manhã quando surge no palco Chad Stewart na bateria, Ace Von Johnson e Xristian Simon nas guitarras, o grande Danny Nordahl (Ex- The Throbs) e Taime Downe nos vocais. Pisam no palco já com a intro que acompanha a banda há alguns anos seguido da maravilhosa “Jack the Bastard” , “Cathouse” e “Slip on the Tongue”, mostrando como se faz um Hard Rock.

Vendo a presença de palco de Taime, que foi um verdadeiro show a parte, confirma-se que não existem mais Rockstars como alguns da cena glam dos anos 80, eles sobem no palco e simplesmente detonam, e toda a atenção vão para eles, indescritível em palavras o seu carisma.

A apresentação teve sequência com “Number One With a Bullet” e Sex, Drugs e “Rock ‘n’ Roll”, com mais uma pausa para respirar quando é executada a balada que embalou muitos namoros nos anos 90, “House of Pain”, onde Taime literalmente sentou junto ao público e cantou toda a canção de lá, em um momento mágico e intimista. O show seguiu com o hit da MTV “Nonstop to Nowhere” sendo simplesmente incrível.


Seguiu-se com “Disintegrate”, “In Denial” e “Porn Star” , onde o glam ficou um pouco de lado dando margem para o lado mais Industrial do Faster Pussycat, não conhecido por muitos, porém com a mesma grande qualidade da banda. Após tudo isso vem a clássica batida de bateria e literalmente o Inferno vai ao paraiso com “Bathroom Wall”, onde em trechos da música, Taime dá o microfone para a platéia cantar e assisti alguns versos no melhor inglês que a plateia poderia cantar… em seguida Taime sai do palco para que Danny Nordahl assumisse o posto de vocalista. A banda passa a ter uma levada mais punk na música mas logo tudo retorna ao normal para terminar o hino “Bathroom Wall”, e assim acabou a primeira parte do set.

Sem sair do palco ja emendam o bis com “Shut up and Fuck” e “Babylon” encerrando uma apresentação mais do que perfeita!

Set list
01 – intro
02 – jack the Bastard
03 – Cathouse
04 – Slip on the Tongue
05 – Number one with a bullet
06 – Sex, Drugs e “Rock ‘n’ Roll
07 – house of Pain
08 – Nonstop to Nowhere
09 – Disintegrate
10 – In Denial
11 – Porn Star
12 – Bathroom Wall
13 – Shut up and F***
14 – Babylon
Após o show a banda recebeu a todos no já tradicional Meet & Greet, onde ao mencionar 20 anos de espera pelo show, Taime me disse, “Cara, Desculpe, não tinha motivos para não vir ao Brasil, simplesmente aconteceu, mas foi incrível esta noite.”  Como disse a ele Nós que precisávamos dizer “Obrigado por vir e foi Incrível”.

Sem sombra de dúvida, se houvesse uma eleição para selecionar alguma banda em Festival, dificilmente o Faster Pussycat seria lembrado ou mencionado, mesmo sendo uma banda conhecida e que tem mais de 20 anos de carreira com inumeros sucessos e importância no cenário Hard Rock Mundial, mas o importante disso tudo é em um ano com média de 8 shows internacionais por mês, ouso a dizer que o Faster Pussycat fez na última sexta-feira um show que pode ser classificado entre os 5 melhores shows do ano no Brasil independente do estilo que se aprecie.

Agradecemos a Produção da Glan Nation e a Angélica Kernchen da Assessoria de Impressa New Gigs pelo Credenciamento.

Comentários:

Sobre o autor:

Marcos Cesar de Almeida:
"Metaleiro das antigas" ou Tiozinho dos shows, Torcedor do Monte Azul, ouço todas as vertentes do Metal, Hard, folk, death, THrash, tendo distorção e bem feito tá valendo. Twiter : @BULLINO

já escreveu 2028 artigos para a Ilha do Metal.