Exodus, Claustrofobia e Nervosa @ Carioca Club São Paulo/SP (22/04/12)

Domingo, 22 de abril, um dia frio e chuvoso em São Paulo. Ocasião ideal para o banger tirar aquela jaqueta preta de couro ou o colete jeans repleto de patchs e migrar para o Carioca Club para conferir um ataque de Thrash de primeira qualidade: Exodus, Claustrofobia e Nervosa.

Um revés do evento foi o fato de estar marcado para as 18:00 e só ter seu início às 19:30, ou seja, com uma hora e meia de atraso deixando o público à mercê das condições climáticas (frio e chuva) do lado de fora da casa. Ultimamente tem se discutido o profissionalismo na produção de shows de metal no Brasil e atitudes como essa infelizmente vão contra ao respeito que o público merece.

Deixando esses problemas “extra campo” de lado a primeira banda a subir no palco foi a NERVOSA. O power trio formado por Fernanda Lira (Baixo & Vocal), Prika Amaral (Guitarra & Backing Vocal) e Fernada Terra (Bateria) infelizmente foi prejudicado pelo atraso na abertura da casa e pela péssima equalização do som nas primeiras músicas. O set do grupo foi bem reduzido, mas serviu para mostrar ao público que as meninas realmente têm um trabalho consistente nas mãos, bastando agora o lançamento de algum material. Deu a impressão de que elas não estavam tão à vontade no palco, faltando um pouco mais de presença, mas com certeza deixaram uma boa impressão no público que irá buscar mais informações sobre a banda.

Nervosa

A próxima banda a adentrar foi o CLAUSTROFOBIA. Apenas um comentário: uma aula de metal ministrada por Marcus D`Ângelo (Guitarra & Vocal), Daniel Bonfogo (Baixo), Alexandre de Orio (Guitarra) e Caio D´Ângelo (Bateria)! Com um som bem equalizado e uma presença de palco matadora a banda mostrou porque é considerada uma das referências do Death/Thrash nacional não perdendo em nada bandas estrangeiras. Promovendo o álbum Peste, apresentado pela primeira vez ao público paulista, o show foi uma metralhadora de músicas sem espaço para enrolação ou conversa promovendo intensos circle pits na pista. Era uma paulada atrás da outra onde a banda mesclou músicas antigas com mais recentes agradando a todos que estavam no Carioca Club.

SET LIST CLAUSTROFOBIA

Intro
Wor Stomp
Metal Malóka
Condemned
Pinu da Granada
Dont´t Kill
Bastardos do Brasil
Thrasher
Alegoria do Sangue
Enemy
Peste
Paga Pau

Claustrofobia
Claustrofobia

Imagine um caminhão de Coca-Cola guiado por Mike Tyson chocando-se com um caminhão de Menthos comandado por Evander Holyfield! Esse é um resumo sobre o show do EXODUS: simplesmente matador! Em uma hora e quarenta minutos de apresentação a banda despejou no público antigos e novos clássicos fazendo a galera pirar! Não faltaram músicas como Piranha, Bonded by Blood, War is my shephered, Fabulous Disaster, Brain Dead, Toxic Waltz, Metal Comand, A Lesson In Violence e Strike Of The Beast. Em praticamente todas as músicas era formado um circle pit (roda) que tomava quase toda pista do Carioca Club na qual bangers “old school” agitavam com a mesma intensidade quando comparados com a “molecada” mais nova que vem renovando a cena! Ainda rolou um “wall of death” no final da apresentação. Ponto positivo para o público que realmente curtiu um show de thrash sem nenhum incidente grave.

Exodus

Deixou a desejar a performance do guitarrista Lee Altus que se mostrou apagado durante todo o show permanecendo quase sempre no fundo do palco. Quem sabe seria cansaço, cachaça, calor, doença, frescura ou um pouco disso tudo,…??? Isso não iremos saber. Em compensação Gary Holt (guitarra), Tom Hunting (Bateria), Jack Gibson (Baixo) e Rob Dukes (Vocal) não paravam em momento algum.

SET LIST EXODUS

The Ballad Of Leonard And Charles
Beyond The Pale
Children of a Worthless God
Piranha
Brain Dead
Iconoclasm
A Lesson In Violence
Metal Command
Deathamphetamine
Blacklist
Fabulous Disaster
War Is My Shepperd
Bonded By Blood
Toxic Waltz
Strike of the Beast
Good Riddance

Exodus

Nessa noite São Paulo presenciou uma apresentação que ficará marcada na mente dos bangers que compareceram pela qualidade sonora e violência (no bom sentido)! A lesson in violence com certeza!

Fotos: Ronaldo Chavenco

Vídeo: Marcmat