Biquini Cavadão @ Teatro Bradesco – São Paulo (23/03/2017)

A história  do Pop no Brasil teve uma acensão muito grande nos anos  80 e hoje muitos seguem na batalha e estão comemorando os 30 anos de carreira, e entre eles está o Biquini Cavadão, que desde o primeiro sucesso Tédio, a banda emplacou vários sucessos, sendo o maior ” Vento Ventania” que disputava o primeiro lugar nas paradas com “Knocking on heavens door”  do Guns ‘n’ Roses..

Álbum de Fotos: Click Aqui

A banda acaba de lançar o CD AS VOLTAS QUE O MUNDO DÁ, e como sempre faz excelente a banda faz excelentes shows, o Teatro Bradesco teve um excelente público concorrendo diretamente com o jogo da Seleção Brasileira de Futebol, e com certeza quem foi pode ver os gols no outro dia.. mas quem perdeu esse show….

Vale destacar quando as luzer apagaram que o Biquini Cavadão inovou, onde no telão pedia para se tirar fotos com a marcação #instabiquini2017 que cinco escolhidos teriam direito a um meet & greet com a banda podendo levar três convidados. Com a evolução da tecnologia, eles souberam usá-la para o bem e como deve ser… em uma idéia sensacional.

A abertura do show veio com o primeiro single do novo disco ” Soltos pelo ar“,e aos primeiros riffs de ” Zé Ninguém” com uma roupagem muito,  mas muito mais pesada que a versão que conhecemos da Rádio, a platéia explodiu começando a dançar e quando o vocalista Bruno Gouveia desceu e caminhou entre os corredores do Teatro, todos se levantaram e foram a frente, lembrando que o show era em um teatro com lugares demarcados. A sequencia, outra versão bem mais Rock ao Vivo, com a versão de “Chove Chuva” de Jorge Ben.

Ao vivo o guitarrista Carlos Coelho deu um corpo forte a música da banda ao vivo, e acompanhado do baterista Alvaro Birita, que descia a mão sem dó, com a perfeita harmonia feita pelo tecladista Miguel Flores, o espirito do Rock’n’Roll estava ali com atitude impar de todos os músicos e vale destacar que o baixista da banda, é o Ex- Rodox, Ex-Pavilhão 9 , Marcelo Magal, completando a banda o saxofonista Walmer Carvalho.

Bruno destacou a longevidade da banda, primeiro pelos fãs, e segundo pela qualidade das letras, que ali estava uma banda que sabe falar da política (sem ser hipócritas como algumas do hardcore hoje), quando sempre pensavam em que nas letras deveria ter uma mensagem e que eram atentos as músicas dos amigos de outra banda sempre inspirando uns aos outros deixando claro a união que existe entre as bandas dessa geração.

Os sucessos da banda foram passando um a um e com aquelas que apenas os fãs cantavam e detalhe, todo o Teatro cantava, como podemos citar com as músicas ” Janaína” e “Dani“.  Outro destaque é a faixa Múmia, onde quando foi gravada teve a participação de Renato Russo e em tempos de ira por nada, uma letra que prega a paz cai bem em qualquer momento.

Antes da faixa Arco iris, o vocalista lembrou de que alguns fatos, bons ou ruins, marcam e mudam a vida completamente e essas voltas que falam o disco novo da banda e um senhor ao meu lado, foi as lágrimas na execução dessa faixa, não tendo como não se emocionar.

Bruno disse que após tantos anos de carreira algumas músicas podem ter outras versões e isso faz parte da criação da banda e tocaram em versão acústica com apenas os quatro bem a frente as músicas “Vou te levar“, ” Quanto tempo“, ” Meu Reino” e ” Quando Eu..”.

O show sensacional, uma atmosfera poucas vezes vista, com forte conexão entre banda e público e lembraram de dois sucessos dos anos 80 que fizeram suas versões, ” Carta aos Missionários” da banda Uns & Outros e “Camila” da banda gaúcha Nenhum de Nós, que na semana anterior tinha feito o show 2.000 em são Paulo.

O Sucesso ” Tédio” começou de maneira estranha, um pouco lenta, tocada despretensiosamente, quando de repente ela explode , com o jeito rock que a banda estava fazendo terminando assim a primeira parte do show.

A volta rapidamente veio e na primeira música do bis com uma bela luz com “Você marcou” falando do fim do show, algo mágico, perfeito para aquele momento, e finalizaram com os sucessos “Timidez” e “Impossível” terminando um show que é proibido (para não usar o nome da última música do show) de não estar na lista dos melhores shows do ano.

Ao ver um show desse, e lembrar que muitos reclamam da atual cena Rock do país, não adianta vestir preto, ter cara de mal, corpse paint, mas se não fizer música boa e atitude em cima de um palco principalmente, e atitude rock, sobrou neste show.

  1. Soltos pelo ar
  2. Zé Ninguém
  3. Chove Chuva
  4. Um Rio..
  5. Janaina
  6. Rod-Gigante
  7. Dani
  8. NML
  9. No mesmo Lugar
  10. Múmia
  11. Arco-Íris
  12. Vento Ventania
  13. Vou te Levar
  14. Quanto Tempo
  15. Meu Reino
  16. Quando eu..
  17. Em algum lugar
  18. livre
  19. Carta aos Missionários
  20. Camila, Camila
  21. Tédio
  22. Você Marcou
  23. Entre Beijos
  24. Timidez
  25. Impossível