Avenged Sevenfold @ Credicard Hall 03/04/11

Fotos: Silvia Curado

Em sua terceira passagem em território brasileiro, os fãs da banda Avenged Sevenfold saborearam o melhor e mais lotado show da banda. Confesso que esperava um público acima da média, tendo em vista que grande parte do público que presenciou o festival SWU foi prestigiar a banda, mas o que vi no último dia 03 foi impressionante.

Com a clássica e chata chuva de domingo, cheguei em cima do horário, faltando apenas dez minutos para o início do show, segundo o horário divulgado. Entretanto, como de costume, houve um atraso de quase trinta minutos. Era quase impossível andar no meio da pista, tampouco se dar ao luxo de ir comprar algum tipo de alimento, pois isso significaria assistir o show do fundo do Credicard Hall.

Eis que ás 8:30 hrs as luzes começam a apagar devagar, de modo que os gritos não foram imediatos, e a introdução de Nightmare começa a rolar, fazendo todos irem ao delírio. Conduzindo a atual turnê, que promove o álbum que leva o mesmo nome, M. Shadows (vocal), Zacky Vengeance (guitarra base), Synyster Gates (guitarra solo), Johnny Christ (baixo) e o convidado para turnê Arin Ilejay (bateria), entraram no palco sendo totalmente ovacionados e pela quantidade de gritos histéricos era quase impossível ouvir o som da casa, que por sinal estava altíssimo.

O refrão marcante de Nightmare era cantado por quase todos os presentes, que somavam em torno de sete mil pessoas. Provavelmente é o maior público que já vi no Credicard Hall! M. Shadows agradece e diz que ama o público brasileiro antes de iniciar Critical Acclaim que seguiu a apresentação, também sendo extremamente ovacionada e empolgante, música essa que está presente no quarto e homônimo álbum da banda. Um solo simples de Arin Ilejay inicia a ótima Welcome to the family, presente no último álbum.

Beast and the Harlot era a próxima faixa, com uma pegada mais leve, mas o público não deixou esfriar: pulou e cantou a faixa inteira! Sua letra é excelente, retratando a queda da Grande Babilônia, segundo o livro do Apocalipse. Buried Alive não deixou a peteca cair! A empolgação da platéia se mantinha intacta e a banda correspondia transparecendo muita energia! Durante essa turnê, a banda está executando uma homenagem ao falecido baterista James Owen ou mais popularmente conhecido como “The Rev” durante a música So Far Away, em que colocam uma foto da banda reunida e M. Shadows agradece e pede que todos cantem em homenagem ao amigo.

Após essa bela homenagem, uma sequência de quatro músicas matadoras: Afterlife, God Hates Us, Bat Country e a fantástica Unholy Confessions. Impossível não agitar e cantar todos esses hinos da banda! Todos saem do palco, retornando cerca de trinta minutos depois para o bis Fiction e Save Me.

Extremamente ovacionados, a banda se despede com M. Shadows dizendo que o Brasil é a segunda casa da banda. Um apresentação curta, com cerca de uma hora e meia de duração, mas que deixou a desejar apenas pela quantidade de músicas executadas. A execução, postura da banda e a apresentação no geral são inquestionáveis no quesito qualidade, porém a sensação de um set list muito curto ficou marcado.

Vamos aguardar o retorno dessa promissora banda e que em próximas vezes nos presenteie com um set list mais extenso!

Set list:
1. Nightmare
2. Critical Acclaim
3. Welcome to the Family
4. Beast and the Harlot
5. Buried Alive
6. So Far Away
7. Afterlife
8. God Hates Us
9. Bat Country
10. Unholy Confessions

Encore:
11. Fiction
12. Save Me

Agradecimentos a Metal Militia Web Radio

Tags: Avenged Sevenfold Credicard Hall Resenha

Comentários:

Sobre o autor:

Jesley Slaytanic:
23 anos, "Thrasher", Colecionador, apaixonado pela banda Slayer, filmes de terror e artigos sobre guerra. Possui uma loja virtual chamada ICE TITAN STORE (www.icetitanstore.com.br).Pesquisador sobre a melhor vertente do metal: Thrash metal! Trabalhou na redação da Revista Rock Brigade e pretende expandir suas pesquisas a um livro. Meu twitter: @Jeslaytanic

já escreveu 101 artigos para a Ilha do Metal.