Aborted @ Hangar 110 – São Paulo/SP (18/02/12)

O cancelamento recente da vinda do aguardado Exhumed ao Brasil, pareceu causar certa decepção inicial em grande parte do público, mas não impediu que mais um evento brutal fosse realizado pela Tumba Productions. Lá e cá se ouviam lamentos pelo cancelamento da apresentação, e rumores de alguns outros teriam desistido de vir ao show já que não contariam com a presença do Exhumed, mas no geral, viam-se headbangers que haviam decidido em 18 de fevereiro, fugir do carnaval brasileiro optando por presenciar os belgas do Aborted, e a trinca brasileira muito bem representada por Desecrated Sphere, Anarkhon e Unearthly.

Dada a largada à porradaria, No pequeno palco do hangar 110, um grande espaço era tomado por uma segunda bateria (isso já não é novidade para qualquer banda de abertura), já que a destinada ao Aborted seria de uso exclusivo do baterista da banda   Espremidos ou não, o Desecrated Sphere veio do interior de São Paulo dar inicio a noite de apresentações do evento. A jovem banda com apenas 1 ano e quase 2 meses de fundação, conquistou destaque em diversos sites especializados graças ao lançamento de seu debut álbum “The Unmasking Reality”, e subiu ao palco com mérito para mostrar seu Death Metal técnico, e fortemente influenciado por bandas como Cannibal Corpse, e a própria atração principal do evento, o Aborted. Comandados por Renato Sgarbi nos Vocais, Saulo Benedetti na Bateria, Gustavo Lozano e Rubens Fraleone nas guitas e José “Motor” Mantovani no baixo fechando o time desta forte promessa brasileira.    

 

 

Quem acompanhou a extensa agenda de shows realizados pela Tumba Productions no ano de 2011, pode presenciar a apresentação do Anarkhon no ultimo evento de 2011: o excelente show ao lado do Dark Funeral Gama Bomb e Hammurabi, e na noite de sábado, veio derramar novamente sua dose de brutalidade. Vamos resumir tudo num trecho de uma musica do próprio Anarkhon, cantada em alto e claro português:  

“Seu sangue escorrendo em minhas mãos Embalei seus pedaços e levei para o porão Seu corpo esquartejado e retalhado Eu costurei com arame farpado”.   (Nr: Anarkhon – Satisfação em Costurar um Corpo Retalhado Com Arame Farpado)

Para os que ainda não conhecem o trabalho de Aron Romero (Vocal/Guitarra), Danilo Costa (Guitar), Michel Amorim (Baixo), Wellington Ramos (Bateria), a dica foi dada!    

 

A terceira banda a se apresentar foram os cariocas do Unearthly, que caminha em ascensão desde o lançamento de seu ultimo álbum “Flagellum dei” em 2011. Subiu ao palco com todas as novas características que vem sendo incorporadas nos últimos anos, que vão de aspectos musicais e visuais. A banda que há tempos abandonou a “Corpse paint” e agora desfila um figurino que nos remete às “armaduras” utilizadas frequentemente por bandas de Death/Black metal talvez reforce ainda mais a idéia de já ter visto algo parecido em um parente de origem polonesa… O Set list mesclou musicas da antiga e nova fase do grupo, as mudanças são visíveis, e o publico da nova e velha guarda de fãs acompanhou a apresentação.  

 

Enfim chegada a hora do Aborted subir ao palco do Hangar 110. Com breves cumprimentos após o abrir das cortinas, o Aborted iniciou sua enérgica apresentação ao som de “Global Flatiline”, faixa titulo do mais recente álbum do grupo. Conduzidos pelo vocalista e único membro remanescente da primeira formação Sven de Caluwé, a injeção de animo no publico foi imediata quando a banda subiu ao palco despejando toda energia canalizada em música. Como se referir ao Aborted sem que lhe venha à mente as cenas do médico maníaco no videoclipe do clássico “Meticulous Envagination”? Pois foi essa a faixa que trouxe aos fãs mais antigos uma pancada nostálgica dos velhos tempos do Aborted, e mesmo com um publico que não chegou a lotar a casa de shows, um “mosh pit” (que já havia se aberto ao inicio da primeira musica) tomou forma e fúria englobando os desavisados que estivessem por perto. O show prosseguiu sem muitas surpresas (o set list se manteve exatamente o mesmo do show em Porto Alegre), ou melhor, quase todo de surpresas, já que a faixas executadas em grande parte se baseavam no álbum que acaba de sair do forno “Global Flatline”, mas ouvir “Sanguines Verses” e “Gestated Rabidity” para mim fez valer a pena vendo musicas de alguns dos meus álbuns favoritos executadas ao vivo (Nr. Álbuns “Engineering the Dead” -2001-; “Goremageddon”-2003)   Fechando a noite ao som de “Nailed Through Her Cunt” a, banda mostrou que apesar das mudanças constantes na sonoridade, que agradaram e desagradaram aos fãs durante a carreira (eu sou uma que por vezes… decepcionei-me), tem poder e energia de sobra para continuar na ativa, tudo isso carregado com uma dose extra de carisma, presença e postura atenciosa com o publico.  

 

Set List Aborted

1 Global Flatline

2 Meticulous Invagination

3 Coronary Reconstruction

4 The Origin of Disease

5 The Holocaust Incarnate

6 Expurgation Euphoria

7 From A Tepid Whiff

8 Sanguines Verses

9 Threading on Vermillion Deception

10 Gestated Rabidity

11 Dead Wreckoning

12 The Saw and The Carnage Done

Encore:

13 Nailed Through Her Cunt   Set List Unearthly:

  1. Intro
  2. 7.62
  3. Baptized in Blood
  4. Flagellum
  5. Days Of Storm For Christians Soul
  6. Black Sun
  7. Age of Chaos.

Set List Anarkhon:

  1. A Dor da Imortal Putrefação
  2. Regurgitating Maggots
  3. Corporal Sores
  4. Rotten Flesh Reanimated
  5. Satisfação em Costurar um Corpo Retalhado com Arame Farpado

Set List Desecrated Sphere:

  1. Intro – Unnatural Transformation,
  2. Ruin,
  3. Inquisitio Haeraticae Pravitatis Sanctum Officium
  4. Gospel Is Dead
  5. Defraudation
  6. Century of Tyranny
  7. Biological Butchery

Fotos por: Fernanda Lyra

Agradecimentos: Tumba Productions, Metal Media e a todas as bandas participantes no evento