Primator- “Involution”

Primator- “Involution”

Ano de lançamento:

2015

Gravadora:

Novo Disco Mídia Digital

Review:

Desde que comecei a fazer resenhas de álbuns a praticamente um ano atrás acabei me deparando com inúmeras bandas nacionais de excelente qualidade, no entanto o que mais me surpreendeu não foi essa qualidade, pois sei que existem incríveis bandas nacionais, o que mais me chamou atenção foi que muitas das bandas nacionais não são reconhecidas e outras são reconhecidas apenas fora do país. Um exemplo de banda nacional que me surpreendeu foi a banda paulista Primator que logo no primeiro álbum “Involution” já mostrou total qualidade de trabalho, mesmo que em alguns momentos o bom e velho Heavy Metal ganhe umas pitadas de modernidade que soam estranho a banda de modo geral conseguiu produzir um bom trabalho.

Uma coisa que me chamou a atenção e que descobri através de pesquisas a respeito da banda e até das letras das músicas é que este álbum foi inspirado na Teoria da Evolução do naturalista Charles Darwin, isso é perceptível ate na capa do álbum que apresenta uma capa incrível produzida pelo próprio vocalista da banda Rodrigo Sinopoli. A marca registrada desta banda no álbum é uma guitarra muito bem fraseada com excelentes riffs e um baixo  com frases extremamente perceptível, tudo isso combinado com muitos agudos de Sinopoli que combinados com uma harmonia mais moderna me fizeram lembrar em vários momentos do trabalho do Detonador.

O álbum começa com a faixa “Primator” que eu a considero a identidade da banda nela os músicos já chegaram com tudo mostrando seu potencial acredito que por isso se chame “Primator”, pois nela a banda consegue mostrar a que veio. Na faixa seguinte “Deadland” algo notável que gostei bastante é das vibrações do baixo de André Anjos, em quanto na faixa três “Flames of Hades” o peso e o refrão bem composto fizeram com que eu achasse está uma das melhores músicas do álbum assim como a quinta faixa “Black Tormentor”. Fazendo a intermediação entre estás faixas está a “Caroline” que tem uma pegada mais “relax” mais balada.

Na sexta faixa “Let Me Live Again” Rodrigo conseguiu explorar muito bem seu potencial vocálico e nas músicas seguintes “Face the Death” e “Erase the Rainbow” há grande relação sonora ambas parecem se completar harmonicamente e essa harmonia tem uma pegada Power Metal. Seguindo com a nona faixa  “Praying for Nothing” que também é uma ótima canção com uma introdução de baixo, ótimos e rápidos riffs e é muito válido ressaltar o ótimo solo de bateria que essa música tem quase no fim. Por fim “Involution” em que além de todo trabalho instrumental muito bem feito ainda há uma incrível critica social na letra dela.

De modo geral após anos de estrada a banda Primator lançou seu primeiro álbum no momento certo, eles mostraram que são excelentes músicos e apesar de em alguns momentos a mistura de novos elementos não soasse bem, eles foram ousados em criar, pois só arriscando se aprende. Creio que está banda tem muito potencial e que pode chegar longe, mas alguns quesitos tem de ser trabalhados e aprimorados, fora isso eles tem tudo para lançar outros e outros álbuns e alcançarem um grande público.

Formação

Rodrigo Sinopoli (Vocal)
Márcio Dassié (Guitarra)
Diego Lima (Guitarra)
André dos Anjos (Baixo)
Alexandre Oliveira (Bateria)

Tracklist:
1 – Primator
2 – Deadland
3 – Flames Of Hades
4 – Caroline
5 – Black Tormentor
6 – Let Me Live Again
7 – Face The Death
8 – Erase The Rainbow
9 – Praying For Nothing
10 – Involution