Lothlöryen – Raving Souls Society

Publicado em:

Lothlöryen – Raving Souls Society

Ano de lançamento:

2012

Gravadora:

Shinigami Records

Review:

Conceitualmente insano!!! Submerso em um denso conflito mental, em um mundo ilusório vasto e atmosfericamente pesado, “Raving Souls Society” abandona a temática tolkiana e dispara a temática da loucura contra a mente do ouvinte!

Muito pode se dizer sobre este novo lançamento da banda mineira Lothlöryen, mas os pontos  principais a serem destacado são: a reciclagemcoragem e competência. Reciclagem não apenas na abordagem lírica, mas também a instrumental que se tornou mais pesada, forte, cheia, interessante… (e mais algumas dezenas de adjetivos); Coragem para bater no peito e fazer algo totalmente sem precedentes; e competência para que o resultado final se tornasse um dos prováveis melhores lançamentos nacionais de 2012!

O álbum começa com a dramática introdução de “First Raving Steps” convocando o ouvinte à deixar o pouco de loucura que há em si transparecer. “Face your Insanity”, a faixa principal é um resumo de todo o álbum: letras sobre conflitos mentais, baixo e bateria bem destacados, variedade vocal com vozes alternadas ou sobrepostas, solos de teclado e guitarra somados ao timbre grave predominante ao longo do álbum.

Ainda caminhando de mãos dadas com o power metal, “When Madness Calls”, que foi a primeira faixa disponibilizada pela banda tem a participação de Heverton Souza nos vocais guturais, outra participação de peso é de Helena Martins (Ecliptyka) nos vocais da interessantíssima faixa “Hypnerotomachia”.

Conforme o álbum vai seguindo, é notável o clima variado que cada faixa é capaz de proporcionar, ” Temples of Sand”, “A Tale of Lunacy”, a balada “To Live Forever” e “1314″, um prelúdio para a sequência do álbum, erguem os alicerces da identidade deste álbum.

“Burning Jacques” é a faixa que desperta maior interesse, instrumentalmente, pelo apelo crescente apresentado mais de uma vez na música, onde o teclado e a guitarra ecoante na pausa lá pela metade da música tornam a atmosfera carregada em uma forma esperança ou alívio. O álbum segue com a música “Sun of Delirious”.

O álbum termina com “My Old Tavern”, como uma despedida melancólica aos velhos bardos, companheiros e amigos de tantas aventuras, o que soa como um derradeiro fim à antiga proposta da  banda, jogada ao mar no ritmo de uma lenta balada ao melhor estilo Blind Guardian.

Bunrning Jacques

Face Your Insanity

Faixas:
01- First Raving Steps
02- Face your Insanity
03- When Madness Calls
04- Hypnerotomachia
05- Temples of Sand
06- A Tale of Lunacy
07- To Live Forever
08- 1314
09- Burning Jacques
10- Sun of Delirious
11- My Old Tavern

Formação:
Daniel Felipe – Vocal
Leko Soares – Guitarra
Tim Alan – Guitarra
Marcelo Godde – Baixo
Marcelo Benelli – bateria
Leo Godde – Teclados e Sintetizadores

Convidados:
Heverton Souza – Vocal gutural em When Madness Calls
Helena Martins – Vocal em Hypnerotomachia
Chrystian Dozza – Guitarras acústicas
Anderson “Bardo” – Violinos
Augusto Lopes – Vocal gutural em A Tale of Lunacy

BA2014_poster_en_small