Zakk Wylde: Entrevista para a Altsounds.com

Esta notícia é antiga e foi publicada à 7 anos atrás.

Você pode encontrar novas notícias através do arquivo de notícias da Ilha do Metal

Essa é pra quem admira o guitarrista Zakk Wylde. O Altsounds.com fez uma entrevista com ele. Conferira algus trechos da conversa.

Altsounds.com: “Order Of The Black” [novo álbum, do Black Label Society, que será lançado em agosto] é o seu primeiro álbum “sóbrio”, certo? O primeiro desde que você parou de beber?

Wylde: “Bem, sim, mas sabe, quando as pessoas dizem ‘Oh, você está sóbrio agora’, quero dizer, quando fizemos todos os outros álbuns nós estávamos bebendo, estávamos nos divertindo, mas não estávamos doidões enquanto fazíamos os discos. Digamos assim, eu nunca fiz discos e depois nem mesmo lembrei de tê-los feito. OZZY costumava dizer que estava tão chapado na época do Black Sabbath que nem se lembra de tê-los feito. Eu nunca estive tão bêbado que não lembrava das coisas, ou quando acontecia uma briga, você sabe, e alguém te pergunta ‘Você lembra de ter feito isso ontem à noite?’, e você não sabe do que estão falando.”

“Sim, houve ocasiões após shows com todo mundo indo a bares e enchendo a cara, voltando para o bar do hotel, e, no dia seguinte, falando, ‘Cara, eu não lembro de chegar ao quarto após o bar, eu acabei no meu quarto mas não lembro como’, coisas assim, mas não ao ponto em que nós roubamos a casa de alguém e depois ficamos, tipo, ‘O quê? Eu não lembro de fazer nada disso!’ Nunca apaguei dessa forma. E eu não estava doidão quando escrevi as canções, de qualquer forma. Normalmente eu estaria tocando piano de manhã com uma xícara de café, ou indo ao estúdio para discutir uma gravação, ou ouvindo algo no rádio. Mas se nós ficássemos doidões, era no fim da noite, não durante as gravações.”

“Eu nunca fiquei bebendo ao longo do dia, porque você tem que fazer os vocais, e então você quer garantir que vai ganhar algum dinheiro, sabe o que quero dizer? Eu tenho gravações nas quais eu estava doidão, e nelas você pode ouvir algumas mais engraçadas da sua vida, mas aí você as ouvia novamente no dia seguinte, sóbrio, e algumas delas te deixavam no chão de tanto rir, e eram horrendas, e nós simplesmente não conseguíamos acreditar no quão doidões e patéticos estávamos.”

Por que OZZY decidiu te substituir [pelo guitarrista Gus G, do FIREWIND], e como você se sentiu a respeito?

Wylde: “Eu amo o OZZY. Eu sempre disse que ele era o cara mais legal que já conheci, sabe, meu pai e o OZZY. Mas é como se o Randy Rhoads ainda estivesse com o QUIET RIOT, a mesma coisa teria acontecido se o Jake [E. Lee] ainda estivesse com o BADLANDS ao mesmo tempo em que tocava com o OZZY, os discos da banda dele teriam soado como discos do OZZY,. Se Eric Clapton ainda estivesse tocando com o CREAM quando foi tocar com JOHN MAYALL, então tudo soaria como o CREAM. No fim do dia, é um elogio dizer que tudo soa como BLACK LABEL. Digamos assim, eu amo Oz,então eu sempre o apoiarei no que ele quiser que eu faça. Eu apoio o Gus, e espero que ele se dê bem, ele é um músico incrível e eu desejo a ele tudo de melhor.”

Qual é o seu conselho para ele?

Wylde: “Ele é um guitarrista fantástico e um cara muito doce, realmente um cara legal. Se ele tiver um quarto da diversão que eu tive, já seria demais! Eu só desejo a ele os montes de bons tempos que eu tive.”

Leia a entrevista na íntegra, em inglês, no Altsounds.com.
Fonte: whiplash.net