Stephen Pearcy: Vocal do Ratt em entrevista a um site norte-americano

Esta notícia é antiga e foi publicada à 6 anos atrás.

Você pode encontrar novas notícias através do arquivo de notícias da Ilha do Metal

Conta a Historia do Heavy Metal, Hard Rock, etc… que o Ratt ajudou com seu som pioneiro em Hollywood. Depois de uma espera de 11 anos, a banda retornou em abril de 2010 e despediu-se e soando melhor do que nunca com infestation, fazendo lembrar os seus primeiros dias como uma banda. Ratt foi capaz de reinventar seu som redescobrindo suas forças, levando os fãs a uma época em que Ratt significava um estilo Ratt’n’Roll.

Stephen Pearcy postou em seu Twitter  que 0 Ratt estaria entrando em hiato para endireitar algumas “questões de negócios”. Fãs assumirão que este fato era devido a um racha na banda decorrente de um livro contando tudo sobre a banda pelo baterista Bobby Boltzer no início do lançamento do CD e turnê.

Devolta às manchetes, Stephen Pearcy se prepara para lançar um CD solo, intitulado Sucker Punch, que deve sair no outono estadunidense com uma turnê pelos Estados Unidos, e, se der certo, passando pelo Brasil também.

Robert Cavuoto do site guitar international entrevistou Stephen, enquanto ele dava uma pausa em seus deveres de gravação para discutir este projeto solo, e também sobre o hiato do Ratt.
Robert Cavuoto: Conte-me um pouco sobre seu novo CD , uma das canções da amostra, “Too Much Is Never Enough” soou como se fosse a partir do EP Ratt. O que os fãs podem esperar?

Stephen Pearcy: Bem, é provavelmente um dos primeiros registros que eu estou realmente fazendo todas as guitarras por diante. A maioria das pessoas realmente não me conhecem como um guitarrista, mesmo como um escritor, mas essas músicas vieram de algum lugar. O EP Ratt foi literalmente todas as minhas músicas, com exceção de “You Think You’re Tough”, que Robbin e eu escrevemos em conjunto.

Robert: Acho que você está na vanguarda. Falo com um monte de artistas que estão lançando individuais a cada mês para manter os fãs interessados ​​e animado, então em um certo ponto de lançamento do álbum completo. Por exemplo, Steve Stevens me disse que ele e Billy tem um plano para liberar três músicas a cada trimestre e, em seguida, colocar o pacote do CD com uma camisa.

Stephen Pearcy: Isso significa que eu estarei dando uma guitarra fora com o meu CD! [Risos]. Mas é isso exatamente, dependendo de quem o pega. Eu quero que ele tenha um lar como antes, distribuir no formato antigo (em CD). Venda de discos não vai mudar durante a noite.

Robert: Eu não me lembro de você tocar guitarra no palco com Ratt, você já faz isso?

Stephen Pearcy: Sim, fizemos no Ratt em 97 até que eu levei um tombo nos bastidores. Mas eu joguei metade do conjunto da guitarra fora. Warren era o guitarrista apenas no momento. Realmente não é o que  cerca o Ratt. Na minha banda solo se eu sair e tocar guitarra. Todo mundo está sempre surpreso quando eu toco. Eu tenho meu próprio som. Warren me deixou tocar guitarra, guitarra base, em algumas músicas do Ratt nesta época (em 97)

Robert: Você vai estar tocando guitarra em banda solo que para o metal na América Tour?

Stephen Pearcy: Não agora. É um choque para as pessoas. Eles tendem a julgá-lo imediatamente. É como foder uma mente para eles. “Uau, o que ele pensa, ele é um guitarrista agora?” Bem, sim, eu sou. No Ratt, desde 77, é o que eu fiz. Eu tocava guitarra base como um Paul Stanley. Quando vi Van Halen, eu disse: “Olha, isso não é esta acontecendo’. Eu tenho que ser um cantor. ”

Robert: É o CD completou ou está ainda em desenvolvimento? Quando você acha que vai ser lançado?

Stephen Pearcy: Na verdade eu estava apenas conversando com o meu co-producer/engineer esta manhã em voltar para o estúdio. Eu tenho que gravar mais três ou quatro músicas novas.

A coisa é, eu estou sempre escrevendo. Eu ainda tenho que trabalhar com Eric Farentino, que é meu guitarrista principal da banda. Ele tem algumas idéias surpreendentes que ainda temos para gravar. Das 12 ou 13 canções que eu escrevi, uma em particular é realmente fenomenal – se eu disser assim eu mesmo. Estive trabalhando nele todos os dias para meses.

Robert: É em agosto ou setembro?

Stephen Pearcy: Provavelmente setembro. Imaginei que poderia muito bem começar a receber algumas dessas coisas para fora agora que as pessoas possam saber que eu não era apenas talkin ‘outta my ass.

Robert: Você está indo para salvar qualquer uma dessas canções para um álbum de Ratt novo?

Stephen Pearcy: Isso é tão irônico. Eu não falei com Warren em um bom tempo.Tivemos uma pausa e me encontrei com ele em uma loja outro dia e nós realmente falar em ficar juntos e iniciar o processo de composição. Eu lhe disse que estava escrevendo Ratt music, que é totalmente diferente do meu material solo.

Eu vou te dizer agora, você bateu o prego na cabeça. Algum deste material é como o material do início do Ratt que eu estou escrevendo, e é uma pena, porque ela poderia ser usada pelo Ratt, mas Warren é um tipo riff total de cara. Ele tem muita coisa. Ele me disse que está escrevendo, então quando ele vai para baixo ele e vou ter muitas músicas. Temos até algumas canções inacabadas que não foram usados ​​na infestation. Nós vamos estar muito bem preparados.

Robert: Você tem alguma demos da volta nque nunca realmente foi lançada que você poderia incorporar ao Ratt? Isso seria muito legal.Raridades.

Stephen Pearcy: Sim, mas eu tenho um plano para essas coisas, como um real primeiro DVD ao vivo do Ratt eu quero colocar para fora. Eu tenho a maior coleção de DVDs pirata do Ratt . Temos algumas canções inéditas, eu não vou dizer às pessoas onde obtê-lo ou o que eles são, mas eles estão por ai e eu vou incluí-los.

Robert: Como é ser um artista solo comparando com o Ratt?

Stephen Pearcy: Os prós são que eu posso fazer o que quero, quando quero e como eu quero, o que é legal. Mas tudo que eu escrevo de qualquer maneira vai ser comparado com Ratt, porque eu canto, escrevo e jogo. Não é como eu tento ir para fora do parque com o material. Tenho também trabalhos como com Al Pitrelli no Vertex. Que era extremo. Isso foi insano. Eu posso sair nele.

Com Ratt, é muito bonito tem de ter em seu elemento e sua própria coisa, então as pessoas percebem isso. As pessoas querem soar como Ratt sempre.

É a mesma coisa quando você faz um show ao vivo, felizmente com infestastion, 90% atingiu a marca, como com “Eat Me Up Alive” e outras músicas, as pessoas eram como, “Uau, isso é Ratt.” Você também tem que dar-lhes o que eles querem. Eles querem  “Round and Round”, em seguida, “Lay It Down”.

Robert: Você acha que o desejo de fazer projetos a solo sai da lentidão do Ratt para apagar CDs?

Stephen Pearcy: negócios Sim, e inacabado por estes dias. Olha no fundo, estou feliz com o legado se fosse para acabar agora. Fomos recompensados ​​muito, muito bem no passado, mas nós nunca realmente terminado. Não podemos culpar tudo em nós mesmos. Nós estávamos apenas tentando ser as pessoas que foram e os músicos que estávamos sendo. Nós nunca seguimos tendências. Nós nunca se importamos em ser queridinhos da imprensa. Nós nunca se preocupamos com Playmates eno dia. Nós nunca utilizamos todas essas coisas e nunca fomos para a cadeia, ou você saberia. [Risos]

Eu estava dizendo a alguém no outro dia … 11/10 anos para fazer Infestation Que nós conseguimos esta próxima fase, e nós vamos bater a marca. Warren é certo. Nós quase chegamos lá. É verdade.E conseguiremos.

Robert: Ratt está em hiato devido a cuidar de algumas “coisas de negócios”.Podemos assumir que “coisas de negócios” tudo foi atendido?

Stephen Pearcy: Nós estamos apenas projetando que deveria ser em 2012. Quero dizer, ele deve ter sido este ano. Se tudo isso acontece ou algo surge e ele quer começar a escrever no mês que vem, eu estarei disponível. Essa é a forma como ele funciona. Deve ser uma prioridade, mas às vezes se as coisas não estão em seu alinhamento adequado, não há nenhuma maneira que nós podemos estar prontos. Tudo o que sei é que nós dois estamos ficando impacientes. Isso é geralmente o que nos traz de volta juntos de qualquer maneira, independentemente da insensatez, ações judiciais e toda essa porcaria outras. É hora de ser músicos e amigos novamente.

Robert: Você e Bobby Blotzer resolvido seus problemas com o livro?

Stephen Pearcy: Sim, até que meu livro seja lançado [Risos]. A vida é uma tensa, você sabe. Eu tenho que te dizer, a coisa que me incomodava não era a loucura das coisas que disse no livro, que foram muito longe da verdade. Foi como ele lançou no dia que a turnê ia começar e o disco saiu. Era como se essa coisa toda que tipo de fuder a gente. Que não é nem aqui nem lá.  Eu não dou a mínima.

Robert: Eu realmente pensei que você fez mais para promover o seu livro do que ele.

Stephen Pearcy: [Risos] É por isso que eu odeio falar sobre isso. Não é como se um bestseller. Se fosse, então eu teria que acelerar. Mas não havia razão para isso. É o que é. Se essa é a sua forma de terapia, que assim seja.

Robert: Quais são as chances de algum dia conseguir Juan volte a banda? Eu sei que um monte de fãs de longa data gostaria de ver isso acontecer.

Stephen Pearcy: A questão: a banda nunca vai ser o que era antes. Só podemos fazer o melhor que podemos apresentar esta mesma música que você quer ouvir. Mesmo se ele fosse voltar, provavelmente ainda não seria o mesmo.Então qual é o melhor caminho? O baixista que temos agora que está lá há muito mais do que Juan quando estava na banda. Provavelmente o dobro do tempo de Juan na banda, ele já esteve lá. Seria ótimo., eu sou todo para esse tipo de coisa. Quanto mais a turma original, melhor. Mas nós não sabemos. Eu não sei. Quem sabe?

Robert: Você tem registros Top Fuel, seu próprio selo. Hoje em dia como é abrir seu próprio selo?

Stephen Pearcy: Primeiro de tudo, eu fiz isso em 95, e que estava ao redor do Arcade tempo estava acontecendo. Eu vi tudo mudar. Eu vi o interesse não na década de 90 do nosso tipo de música. Todo mundo achava que era só vou ir embora e desaparecer, mas eis que isso nunca aconteceu, porque a música é a música. Nosso público é muito grande, muito grande. Agora seus filhos estão vindo aos nossos shows.

Acabei de ver as coisas indo para baixo que eu queria ter mais controle. Eu poderia pagar minha conta própria e não ter cobrado para coisas desnecessárias, e as coisas não iriam fazer por nós. Dariam centenas de milhares de seus registros de distância. Como você explica para eles? Você não. Pelo menos quando eu faço minhas próprias coisas,  eu sei onde isso vai. É responsável. Eles me dão dinheiro. Eu faço o registro e fazer o que eu quiser com ele.

Robert: E a turnê, será só você, ou você está em turnê com um monte de bandas?

Stephen Pearcy: Depende. É um mercado difícil lá fora, agora, por isso vamos ver o que acontece. Eu definitivamente vou pegar bandas de qualquer cidade ou que nós vamos trazer . Nós ainda estamos trabalhando nisso.

Robert: Você também falou sobre seu livro. Como é que vem junto? Sei que eu li sobre você, você estava apenas elaborando, preparando. É algo mais formal?

Stephen Pearcy: Eu ainda estou trabalhando nisso. Eu tenho que encontrar com o outro escritor. Nunca houve uma corrida para fazer isso em primeiro lugar, porque quando eu lançar o livro, todos do inferno se soltarão. Está vindo de mim. Eu criei esse monstro e tenho certeza como o inferno vai cair em cima de mim, diga-lhe como é e ser brutalmente honesto. De maneira nenhuma é o meu livro um ataque a alguém. É um aspecto totalmente diferente. Seria um cruzamento entre um Keith Richards e tipo Steven Tyler do livro, com um pouco Ratt ‘n’ Roll lá dentro.

Fonte: www.guitarinternational.com

Comentários:

Sobre o autor:

Marcos Cesar de Almeida:
"Metaleiro das antigas" ou Tiozinho dos shows, Torcedor do Monte Azul, ouço todas as vertentes do Metal, Hard, folk, death, THrash, tendo distorção e bem feito tá valendo. Twiter : @BULLINO

já escreveu 1953 artigos para a Ilha do Metal.