Rotting Christ: “Novo álbum talvez seja o mais sombrio e místico que já fizemos”

Sakis Tolis, frontman da banda grega Rotting Christ recentemente concedeu uma entrevista ao site Metalpaths.com onde comentou a respeito do novo trabalho e planos futuros:

“É um álbum diferente, se comparando ao ‘Aealo’ (lançamento anterior da banda). A meta para cada banda é apresentar algo diferente em cada álbum, e eu não quero fazer um trabalho apenas por fazê-lo, ou só para entrarmos em turnê, vejo muitas bandas fazendo isso e  é realmente triste. Quero ver minhas bandas favoritas em evolução. Isso é o que estou tentando fazer, mostrar um lado evolutivo de mim em todos os trabalhos. Este álbum não é apenas diferente no que se refere ao lado musical, mas também em termos de produção em comparação ao “Aealo”. É mais obscuro, oculto e é provavelmente o álbum mais sombrio e místico que já fizemos desde ”Thy Mighty Contract “. Então, é como voltar às raízes – não literalmente, pois o Rotting Christ não vende essa  idéia, mas é parecido com o som do nosso começo, ajustado aos novos padrões de produção e de coisas como esta”.

Sobre o título do álbum novo, Sakis comentou:

“O título do novo álbum significa ‘fazer o que quiser’ ou ‘o que você  quer’, como visto por Aleister Crowley, algo que existe muito no ramo do Black Metal e música extrema em geral. Demônio, de acordo com os tempos antigos, somos nós mesmos, e quando agimos de acordo com nosso demônio significa que agimos de acordo com nós mesmos. Isso é o que nós queriamos transmitir com o Rotting Christ.”

Sobre os planos futuros:

“Estamos fazendo uma turnê grega, incluindo nove cidades, e depois disso teremos uma grande turnê sul-americana.”

Confira a faixa “In Yumen – Xibalba” do novo trabalho da banda, “Kata Ton Daimona Eaytoy”:

Capa de “Kata Ton Daimona Eaytoy”: