Andreas Kisser analisa os melhores da década no Metal

Esta notícia é antiga e foi publicada à 7 anos atrás.

Você pode encontrar novas notícias através do arquivo de notícias da Ilha do Metal

O consagrado guitarrista do Sepultura, Andreas Kisser, e também colunista do site Yahoo, postou uma coluna no site em que analisa os melhores da última década no Metal nacional e internacional.

Confira a coluna abaixo:

“Uma lista de melhores, ou piores discos, é sempre cheia de controvérsias e polêmicas, elas nunca vão ser unânimes. Ainda bem. Mas é sempre bom fazer uma retrospectiva e um balanço, principalmente quando estamos fechando mais uma década de história na música. No metal a década foi muito movimentada, com altos e baixos, boas surpresas e grandes retornos, que mantiveram o estilo renovado e vivo.

Desde a revolução melódica e estrutural do System of a Down, passando pela melancólica decadência e a rápida volta ao topo do Metallica, os alemães do Rammstein conquistando o mundo, os irmãos Cavalera tocando juntos novamente, a democracia chinesa do Guns até os grandes retornos de Judas Priest e do AC/DC, a década foi cheia de mutações no estilo, consequência das misturas e ousadias dos músicos mais pesados.

No Brasil o público se firmou como o mais fanático do mundo, incrível notar a dedicação que o fã de Heavy Metal brasileiro tem com as bandas, elas mesmas fazem questão de falar em suas entrevistas pelo mundo, da qualidade diferenciada e maluca do fã brasileiro. É sempre bom tocar por aqui. As bandas brasileiras também cresceram muito e se profissionalisaram, foi a década em que o metal do Brasil mais evoluiu, tanto na qualidade como no gerenciamento de suas carreiras. O Krisiun virou realidade e hoje é referência mundial. O Angra se consolidou e colocou o país no primeiro mundo do metal melódico. Claustrofobia, Torture Squad, Dr. Sin e os grandes trabalhos do Chakal, de Belo Horizonte, e do Korzus, que fez um magistral álbum pra fechar a década, também foram destaques.

Quanto ao Sepultura, foi uma década de muitas mudanças e muitas conquistas. Dois discos foram decisivos na manutenção de uma carreira que completou 26 anos em 2010: “Dante XXI”, último disco com Iggor Cavalera na banda e o “A-Lex”, primeiro trabalho com Jean Dolabella nas baquetas. Além desta grande mudança na formação nós também mostramos um caminho novo, o de buscar inspiração para a música nos livros. Foi um excelente caminho, que abriu várias novas possibilidades para a banda se manter atual e ativa. Isto nos levou a um mundo que o Sepultura não conhecia, literalmente. A Divina Comédia e A Laranja Mecânica foram fontes fantásticas de emoções e sentimentos que pudemos passar através da nossa música. Nós simplesmente não paramos. Desde 2001, o Sepultura visitou os seguinte países pela primeira vez: África do Sul, Filipinas, Ilhas Reunião, Cuba, Índia, Estônia, Ucrânia, Bielo-Rússia, Chipre, Uruguai, Paraguai, Guatemala, Costa Rica, Honduras, Colômbia, Peru, Corea do Sul, Marrocos, Bósnia, entre vários outros lugares aqui no Brasil que a gente nunca tinha ido, além do circuito tradicional que sempre fazemos. Gostaria de destacar também que destes 10 anos que se passaram, cinco deles eu me dediquei ao meu primeiro trabalho solo, Hubris I&II, que finalmente saiu este ano. Foi um trabalho árduo mas que foi um período de muito aprendizado e prazer, o prazer de se fazer música.

Foi também uma década de grandes perdas, todas muito sentidas e irreparáveis: R.I.P.: Dimebag Darrel (Pantera), Kevin Dubrow (Quiet Riot), Paul Raven (Ministry, Prong), Paul Grey (Slipknot), Chuck Shuldiner (Death), Mooseman (Body Count), Randy Castillo (Ozzy), Layne Staley (Alice in Chains), Piggy (Voi-Vod), Ronnie James Dio (Rainbow, Black Sabbath), Pete Steel (Type O Negative), Jesse Pintado (Napalm Death).

Bom, aqui vai a listinha de quem se destacou nos anos de 2001 até 2010. São muitos trabalhos fantásticos que sairam, impossível citar todos mas aqui vai o que achei mais relevante e marcante. E pra você, qual foi o metal que mais te marcou nesta década que acaba agora?

2001

System Of A Down – Toxicity;
Slipknot – Iowa;
Rammstein – Mutter.

2002

Queens Of The Stone Age – Songs For The Deaf;
Audioslave – Audioslave;
Shaman – Ritual.

2003

Machine Head – Through The Ashes Of Empires;
Anthrax – We’ve Come For You All;
Sepultura – Revolusongs;
Dimmu Borgir – Death Cult Armageddon.

2004

Slipknot – Vol. 3: The Subliminal Verses;
Mastodon – Leviathan;
Velvet Revolver – Contraband.

2005

Judas Priest – Angel Of Retribution;
Trivium – Ascendancy;
Meshuggah – Catch 33;
Claustrofobia – Fulminant.

2006

Lamb Of God – Sacrament;
Sick Of It All – Death To Tyrants;
Hatebreed – Supremacy.

2007

Behemoth – The Apostasy;
Andre Matos – Time To Be Free;
Torture Squad – Hellbound;
Dr. Sin – Bravo.

2008

AC/DC – Black Ice;
Metallica – Death Magnetic;
Gojira – The Way Of All Flesh;
Krisiun – Southern Storm;
Guns And Roses – Chinese Democracy.

2009

Heaven And Hell – The Devil You Know;
Alice In Chains – Black Gives Way To Blue;
Kreator – Hordes Of Chaos;
Angra – Aqua.

2010

Scorpions – Sting In The Tail;
Slash – Slash;
Fear Factory – Mechanize;
Korzus – Dicipline Of Hate.

Um grande 2011 pra todos, um muito obrigado à todos que participaram das colunas com comentários, críticas, sugestões e alguns absurdos. Tenho o privilégio de ter este espaço aqui o Yahoo! e a opinião de todos, seja ela qual for, é muito importante e saudável para mim. Valeu”

@andreaskisser

Fonte: Yahoo Notícias Brasil.