Listas: Lançamentos Abril 2011

Mais uma vez a coluna Listas vem mostrar aos leitores da Ilha do Metal os melhores lançamentos das principais bandas do mundo metal. Então lá vamos nós com mais uma lista de melhores lançamentos do Mês, desta vez de Abril.

#10 Wolfsbane: Did It For The Money

1. Did it for the Money
2. Limo
3. GSB
4. Killing Machine
5. Dance My Tune

Começamos a lista de hoje com último lançamento do Wolfsbane, que por sinal não lançava nada desde a época em que Blayze Bayley adentrara no Iron Maiden. Este lançamento se trata de um EP cujo título e a faixa homônima trata fielmente um fato que ocorreu antes de seu lançamento: Blaze dissolveu sua ótima e, considerando-se as proporções, bem sucedida banda solo, de ótimos álbuns e inclusive uma recente tour pelo Brasil para fazer no Wolfsbane um Hard Rock com gosto de farofa. A faixa “Did it for the Money” é ótima, para o estilo, mas uma facada no peito dos fãs cultivados pelo Messiah nos últimos anos.

#9 Pentagram: Last Rites

1. Treat Me Right
2. Call the Man
3. Into the Ground
4. 8
5. Everything’s Turning to Night
6. Windmills and Chimes
7. American Dream
8. Walk in the Blue Light
9. Horseman
10. Death in 1st Person
11. Nothing Left
12. All Your Sins – Reprise

A lendária banda Pentagram finalmente lança seu full-length com algumas músicas novas. Um álbum com a melhor característica (e uma não tão boa também) da banda: hora com faixas incríveis e empolgantes como a “Treat Me Right”; hora com um stonner doom ultra cadenciado, como em “Call the Man”; mas também com faixas mais fracas, “American Dream” e Windmills and Chimes”; fora os novos remakes feitos para algumas faixas escritas à quase 40 anos e seguem pelo tempo quase inalteradas. No geral, eu daria uma nota 7.5 caso fosse construir uma resenha sobre este álbum.

#8 Samael: Lux Mundi

1. Luxferre
2. Let My People Be!
3. Of War
4. Antigod
5. For a Thousand Years
6. The Shadow of the Sword
7. In the Deep
8. Mother Night
9. Pagan Trance
10. In Gold We Trust
11. Soul Invictus
12. The Truth is Marching On

Samael que outrora foi puro black metal, há um tempo faz um dark/industrial (ou algo parecido), digo isso, pois antes de salientar fato de ser um álbum com boas composições e algumas músicas de destaque, acima de tudo, a banda vem recuperando gradativamente a cada novo álbum seu peso nas melodias e a capacidade de composição, todas esquecidas ou desprezadas desde o milênio passado. Considero como as melhores faixas “Let My People Be!”, “Of War” e “In the Deep”, que é o resumo da atmosfera criada neste álbum, e no universo Samael: bateria programada recheiada de elementos graves, letra forte e melodia dramática.

#7 Leaves’ Eyes:Meredead

1. Spirits’ Masquerade
2. Étaín
3. Velvet Heart
4. Kråkevisa
5. To France
6. Meredead
7. Sigrlinn
8. Mine Tåror er ei Grimme
9. Empty Horizon
10. Veritas
11. Nystev
12. Tell-Tale Eyes
13. Sorhleod (Bonus Track)

Mais do mesmo, só que diferente! Mais um bom lançamento do Leaves’ Eyes, que contra todas as opiniões e achismos, ainda lança faixas pesadas no meio de um amontoado de interlúdios, faixas absolutamente folk e outras que beiram ao sono descomunal! Destaque para a faixa “Spirits’ Masquerade” e “Velvet Heart”.

#6 Scar Symmetry: The Unseen Empire

1. The Anomaly
2. Illuminoid Dream Sequence
3. Extinction Mantra
4. Seers Of The Eschaton
5. Domination Agenda
6. Astronomicon
7. Rise Of The Reptilian Regime
8. The Draconian Arrival
9. Alpha And Omega

A nova leva do metal, ou metal moderno, no caso do Metalcore, até chega a fazer álbuns que não são cópias de si mesmos, e é o caso dos suecos da Scar Symmetry. O álbum “The Unseen Empire”, Império Invisível em português, segue uma temática bem interessante, a da dominação reptiliana mundial, cujo tema está muito longe de ser mera fantasia, não acredita? Pesquise, e aposto que você se surpreenderá. Mas enfim, sobre o álbum: um Melodic Death Metal com mesclado Metalcore, sem os exageros e guitarras massantes do segundo estilo citado, que por sinal é o carro chefe do fraco álbum anterior. “Illuminoid Dream Sequence” é uma música que merece destaque, e é a tonica do equilibrio deste bom trabalho.

#5 Vomitory: Opus Mortis VIII

1. Regorge in the Morgue
2. Bloodstained
3. They Will Burn
4. The Dead Awaken
5. Hate in a Time of War
6. Torturous Ingenious
7. Forever Damned
8. Shrouded in Darkness
9. Combat Psychosis
10. Requiem for the Fallen

Brutal, mas sem exageros. Essa é a formula do sucesso para o Death Metal, e é o que o Vomitory usou neste álbum! Íncrivel a capacidade musical dos caras, “Regorge in the Morgue” é fantástica e abre o álbum destruindo tudo pela frente.

#4 Tarot: The Spell of Iron MMXI

1. Midwinter Nights
2. Dancing on the Wire
3. Back in the Fire
4. Love’s Not Made for My Kind
5. Never Forever
6. The Spell of Iron
7. De Mortui Nisi Bene
8. Pharao
9. Wings of Darkness
10. Things that Crawl at Night

Definitivamente, este álbum só não está no lugar mais alto desta lista porque se trata de uma remasterização, e que remasterização!!! Marco Hietala, mais conhecido como o guitarrista e back vocal do Nightwish fez um trabalho incrível neste álbum. Vou me ater de comentários para falar sobre este álbum, pois músicas como “Wings of Darkness”, “Back in the Fire”, e quase todas deste álbum falam muito bem por si. Heavy Metal de qualidade, quem não ouviu ainda está perdendo, e muito!

#3 Pegazus: In Metal We Trust

1. Metal Messiah
2. Road Warrior
3. Old Skool Metal Dayz
4. We Live To Rock
5. Haunting Me
6. Eye For An Eye
7. Ghost Rider
8. Metal Gods
9. End Of The World
10. Death Or Glory

Estes australianos sabem mesmo como fzer um metal old school em pleno século 21. Um retorno aos anos 80 e, resumidamente, aos grandes álbuns do Saxon! Recebemos este álbum antes mesmo de seu lançamento, para que fosse integrada à programação do Programa da Ilha do Metal, e graças ao mesmo, Pegazus é uma das melhores bandas da nossa programação, sem demagogia. Destaque para a faixa “Old Skolll Metal Days”.

#2 Poisonblack: Drive

1. Piston Head
2. Mercury Falling
3. A Good Day for the Crows
4. Maggot Song
5. From Now-here to Nowhere
6. Sycophant
7. The Dead-End Stream
8. Futile Man
9. Scars
10. Driftwood

Se você gostou dos dois álbuns anteriores, certamente vai gostar de Drive, e a recíproca também vale. Ville Laihiala ainda tenta buscar seu melhor, lá da época em que ele fazia parte do Senteced, talvez um dia ele consiga, mas se não conseguir, já está fazendo um ótmo trabalho com o Poisonblack. “From Now-here to Nowhere” e “Mercury Falling” são os destaques deste álbum.

#1 Wolf: Legions Of Bastards

1. Vicious Companions
2. Skull Crusher
3. Full Moon Possession
4. Jekyll & Hyde
5. Absinthe
6. Tales from the Crypt
7. Nocturnal Rites
8. Road to Hell
9. False Preacher
10. Hope to Die
11. K-141 Kursk

Dentre os lançamentos das bandas listadas hoje, nenhuma me chamou mais atenção do que o Legions Of Bastards, da clássica Wolf. Músicas que remetem à melhor época do Heavy Metal como “False Preacher” e “Road to Hell” nos levam em uma nova onda devolta à década de 80. Medalha de Ouro para os caras!

 

Comentários:

Sobre o autor:

Eduardo Escobar:
Paulistano, trabalha com TI e é um eterno estudante de Ciência da Computação. Vocalista nas horas vagas, foi iniciado pelo Iron Maiden há muito tempo, curte Futebol, Truco, Poker, Stoner/Sludge/Doom Metal mas não dispensa bandas de outras vertentes. Aqui na A ILHA DO METAL, é responsável pela parte administrativa do site, mas também publica conteúdo.@eduescobar Facebook

já escreveu 2090 artigos para a Ilha do Metal.