Halloween

Halloween. Quando se pensa nisso, lembra-se da abóbora oca com olhos, nariz e boca recortados. Geralmente com uma vela dentro, pra completar o aspecto demoníaco da coisa.
Além disso, lembramos de gatos pretos, lua cheia, e outros símbolos supersticiosos amplamente explorados pelos filmes de Terror (meu gênero predileto, quando se fala em filmes).

Mas você sabe de onde vieram os principais ícones do Halloween?

Tudo isso começou basicamente, em uma lenda do folclore irlandês, que para explicarmos sem muita delonga vamos adaptar certos termos celtas, (até por que nossa intenção não é dar uma aula interminável de mitologia).

Um homem chamado Jack (trapaceiro e beberão, por sinal), esculpiu uma cruz no tronco de uma arvore, atravéz de um ritual, assim prendendo o diabo (ou algum outro demônio qualquer) na árvore. Fazendo isso, Jack firmou um trato com o demônio em questão: se ele nunca o atormentasse, Jack apagaria a cruz do tronco e o deixaria descer da arvore.
Quando Jack morreu, sua entrada no Céu foi recusada por causa desse pacto com o diabo. Chegando no Inferno ele também não foi aceito, devido as suas trapaças. Entretanto, o diabo lhe ofereceu uma única vela para iluminar seus caminhos, já que ele era agora um espírito errante (vagaria por aí pela eternidade), então Jack a colocou dentro de um nabo oco, e esculpiu alguns furos para dar passagem para a luz emitida pela chama… Daí surgiram as “lanternas de Jack”, que eram feitas com nabo e tinham feições demoníacas esculpidas como buracos para a luz passar.

Com a ida dos imigrantes irlandeses para os EUA, preferiram usar as abóboras do tipo “moranga”, que são muito mais adequadas (baratas, mais fáceis de esculpir, etc). Tornando elas o principal ícone do Halloween.

Os outros ícones dessa data, têm origens nas tradições Celtas, são exemplos deles: a lua cheia, gato preto e morcegos… Que eram como sinais de que algum espírito, ou coisa do tipo, estava por perto ou até mesmo era o bicho em questão (a lua cheia era data especial para certos rituais).
Máscaras e fantasias eram utilizadas para afugentar maus espíritos, e eram realizadas missas em favor dos mortos. A essas missas, são associadas às cores preto e laranja. Devido ao fato de que eles cobriam as tumbas com tecidos pretos, para manter o morto lá, e usavam velas de cera de abelha, que tem uma cor alaranjada.

Fonte: Spectrum Gothic
Créditos também ao meu amigo Furtado que deu uma ajuda com esta postagem.