Discussão Semanal: Reflexão Musical

A partir de agora, toda semana um assunto para ser
discutido aqui n’A Ilha do Metal!
Algum tempo atrás, ao ver que meu post de 2007 falando sobre religiões ainda rende certa discussão, me senti um pouco inspirado para desta vez fazer uma abordagem um pouco mais neutra sobre o assunto, envolvendo Metal e religião. Acompanhem a seguir.

Resumidamente, sou agnóstico, portanto não acredito nem em Deus nem em Diabo, da forma em que são abordados religiosamente. Você já pode se perguntar(!): “Tá e daí? Por que eu me interessaria em ler o resto do post?”. Isso eu respondo: porque se você está lendo isso, provavelmente ouve Metal, e provavelmente não segue algum tipo de religião, ou ainda, provavelmente não suporta o fato de existir Heavy Metal fundado em alguma forma de religião. Mas também seja provavel que você não se encaixe em nenhum dos requisitos citados (mas continue lendo mesmo assim, talvez você aproveite algo.).

Se pararmos para pensar, nada faz sentido, ou pelo menos a maioria das coisas que nos rodeia não faz, e no Heavy Metal não é diferente, veja se você concorda:
 seria esse um álbum cheio de músicas épicas? (rs)

Vamos considerar os seguintes fatos. Cristianismo é uma doutrina, satanismo também. No Heavy Metal temos incontáveis bandas que usam algum tipo de temática obscura, muitas vezes recorrendo a elementos ditos satânicos. Até aí todo mundo de acordo (eu espero). Só que também existem b>andas rotuladas como sendo de Metal Cristão (White Metal, que muitos não julgam ser metal), que usufruem de temas como salvação, fé, e várias coisas ligadas à um deus maior. Então, por que muitos de nós torcemos o nariz quando ouvimos falar de Metal Cristão, mas adoramos qualquer outra música que fale de morte, destruição e demônios? Seriam então muitos de nós satânicos? A resposta é obvia que não!
O que acontece neste caso, é que há um tipo de conceito intrinsico em certos fãs de Heavy Metal em parecerem diferentes perante a socidedade, assim como há contraiamente, o conceito social de seguir as regras de um dito deus onipotente, oniciente e onipresente. Somos todos diferentes, com nossa individualidade e opiniões próprias (ou pelo menos deveria ser assim!), mas então por que estou levantando essas discussões? Simples, o que eu espero de cada pessoa ao ler estas linhas é um pouco mais de reflexão e bom censo, caso esta não tenha (o que cai como uma luva para os “Tr00zões de plantão).

Quero deixar bem claro que não estou julgando o fato de um cristão ouvir Heavy Metal ou de um ateu abominar músicas com temas religiosos mas ouvir músicas sobre demônios, muito pelo contrário, cada um faz o que quer! Só acho que qualquer tipo de doutrina não deveria se aplicar à música em geral, ou caso se aplique (como sabemos que se aplica), seja apenas como forma de entretenimento e não como forma de julgar aqueles que ouvem certo tipo de música!. Mas é claro que nem chega a ser ingênuo achar que isso poderá um dia ser modificado, é pura hipocrisia mesmo!!! (hahaha)

Antes de acabar, gostaria de saber a opinião dos nossos caros leitores sobre as questões levantadas. Não faça parte da massa, opine com fundamento.
Fiquem atentos

Até a próxima

Comentários:

Sobre o autor:

Eduardo Escobar:
Paulistano, trabalha com TI e é um eterno estudante de Ciência da Computação. Vocalista nas horas vagas, foi iniciado pelo Iron Maiden há muito tempo, curte Futebol, Truco, Poker, Stoner/Sludge/Doom Metal mas não dispensa bandas de outras vertentes. Aqui na A ILHA DO METAL, é responsável pela parte administrativa do site, mas também publica conteúdo.@eduescobar Facebook

já escreveu 2090 artigos para a Ilha do Metal.